Últimas

Bomba! Ex-prefeito Arthur Virgílio é acusado de ‘suposto’ pagamento R$ 500 mil por laudo para livrar Alejandro de prisão

Segundo site de notícias OABUTRE, o ex-prefeito Arthur Neto está sendo acusado de ter pago R$ 500 mil em um laudo médico, fraudulento, para colocar em liberdade Alejandro, que é acusado pelo assassinato do engenheiro Flávio Rodrigues, que aconteceu no condomínio Passaredo, em 2019, em Manaus.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

A família do engenheiro, inconformada com a morte precoce de Flávio, acusa o ex-prefeito de ter “comprado” por meio milhão de reais, o laudo médico que alegava que Alejandro apresentava transtornos mentais e comportamentais, devido ao uso de entorpecentes . Os familiares cobram ainda, que as autoridades façam uma investigação sobre o envolvimento do ex-prefeito na fraude que favoreceu a soltura de Alejandro da cadeia.


Segundo testemunhas envolvidas no caso, o laudo feito pelo médico psiquiatra Bruno Netto dos Reis, apresenta várias incoerências, além do que a clínica, chamada pelos familiares da vítima, de clínica de quinta categoria, está localizada no Rio de Janeiro, enquanto Alejandro reside em Manaus. Outro fato que coloca em dúvida a autenticidade do laudo é o fato de ter sido elaborado sem a convocação de uma junta médica, indispensável na elaboração desse tipo de documento.


O advogado criminalista, que atuou no caso, na época, sugeriu que estava desconfiado do laudo apresentado pela defesa de Valeiko e que iria pedir ao Ministério Público, um novo laudo, com um médico regimentado pela Justiça.

“Se o laudo já existia antes, é de fato, uma prova robusta, mas quem garante que não foi feito agora”? Geralmente a Justiça desconfia deste tipo de prova, acha estranho e pede um novo laudo para constatar a veracidade, por ser subjetivo”, disse o advogado na época.

O advogado também alegou dúvida, pelo fato do laudo atestando doença mental de Alejandro, ter sido apresentado, dias após o ocorrido. O que reforça a hipótese, de que o ex-prefeito, neste intervalo, estaria “tramando” com a equipe de defesa, uma forma de inocentar o enteado. Até ter chegado na clínica Jorge Jaber, do Rio de Janeiro, que segundo a família da vítima, foi comprada. Outro questionamento dos familiares e da equipe de defesa da vítima é o fato de o Ministério Público do Amazonas, ter aceitado o laudo, visivelmente fraudulento e mais tarde, ter “arquivado” o caso. Vale ressaltar a tentativa de comprar o famoso perito “MOLINA ” para livrar Alejandro da prisão, mais que não vingou pela recusa do perito que logo em seguida revelou a trama de Arthur e Betinha em um vídeo gravado.

Segundo fontes ligadas ao processo, a Promotora Lêda Maria, teria ligação com Arthur Neto, incluindo troca de favores, como cargos comissionados para os familiares de Leda na Prefeitura de Manaus, o que favoreceu toda a armação criada pelo ex-prefeito e advogados, na tentativa de eximir Alejandro Valeiko da culpa.


Caso seja comprovada a fraude no laudo, Alejandro poderá voltar para a cadeia e os demais envolvidos na fraude, responderão criminalmente à justiça.

Arthur Neto foi protagonista ao usar a imprensa e as redes sociais para defender as ações criminosas de Alejandro, na época do assassinato do engenheiro Flávio Rodrigues, que teve grande repercussão na imprensa nacional.

O ex-prefeito também foi acusado de ter usado a máquina do poder público, para tentar livrar o enteado das acusações. Nas provas apresentadas pela defesa da vítima, foi mencionado a utilização de carros da prefeitura, para tirar o corpo do engenheiro do local e desovar em um terreno baldio.


Em breve novas revelações do caso

Fonte: O Abutre

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.