Últimas

Dia Mundial do Rim: saiba como se prevenir das doenças renais

Idealizado em 2006 pela Sociedade Internacional de Nefrologia (ISN) e pela “International Federation of Kidney Foundations” (IFKF), o Dia Mundial do Rim (DMR) é comemorado anualmente na segunda quinta-feira do mês de março - dia 11, em 2021.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

O tema do Dia Mundial do Rim em 2021 é “Vivendo bem com a doença renal”. A data tem como objetivo conscientizar e orientar o paciente com doença renal crônica (DRC) quanto aos próprios sintomas, para que possa participar, de forma mais efetiva, na rotina da vida cotidiana.

Muitas são as funções dos rins, dentre elas: regular a pressão arterial, eliminar as toxinas do corpo, controlar a quantidade de sal e água do organismo, além de produzir hormônios que evitam a anemia e as doenças ósseas.

A doença renal crônica costuma ser silenciosa em seus estágios iniciais, ou seja, não há sintomas ou eles são poucos e inespecíficos. Por este motivo, o diagnóstico pode ocorrer tardiamente, quando a função renal se encontra já bastante comprometida, muitas vezes em estágio avançado, sendo neste caso necessário tratamento dialítico ou transplante renal. Desta forma, a prevenção e diagnóstico precoce da doença renal crônica são essenciais.

De acordo com o médico generalista do Sistema Hapvida, Lucas da Costa Rodrigues, é preciso estar atento aos sintomas iniciais da doença. “Pessoas acometidas por alguma doença renal podem manifestar sintomas como edema de membros inferiores, dor ao urinar, dor em região lombar, aumento da micção noturna, diminuição na força do jato urinário, ardência na urina, coloração mais escura entre outros”, lembra.

O médico ainda destaca que o tratamento mais eficaz continua sendo o da prevenção, para evitar o agravamento da doença. “O tratamento depende muito dos sintomas do paciente, mas o mais eficaz seria uma ingestão adequada de água, manter uma alimentação regular e saudável e não fazer uso de medicações sem orientação médica”, destaca ele.

Estima-se que haja atualmente no mundo 850 milhões de pessoas com doença renal, decorrente de várias causas. A Doença Renal Crônica (DRC) causa pelo menos 2,4 milhões de mortes por ano, com uma taxa crescente de mortalidade. No Brasil, a estimativa é de que mais de dez milhões de pessoas tenham a doença.

Insuficiência renal é a condição na qual os rins perdem a capacidade de efetuar suas funções básicas. A insuficiência renal pode ser aguda, quando ocorre súbita e rápida perda da função renal, ou crônica, quando esta perda é lenta, progressiva e irreversível.

Confira as principais funções dos rins:

- limpar todas as impurezas e as toxinas de nosso corpo;
- regular a água e manter o equilíbrio das substâncias minerais do corpo (sódio, potássio e fósforo);
- liberar hormônios para manter a pressão arterial e regular a produção de células vermelhas no sangue;
- ativar a vitamina D, que mantém a estrutura dos ossos.

Confira os principais sintomas da doença renal:

- aumento do volume e alteração na cor da urina;
- fadiga;
- dificuldade de concentração;
- diminuição do apetite;
- sangue e espuma na urina;
- incômodo ao urinar;
- inchaço nos olhos, tornozelos e pés;
- dor lombar;
- anemia;
- fraqueza;
- enjôos e vômitos;
- alteração na pressão arterial.

Diagnóstico

A disfunção renal pode ser identificada por meio de dois exames: um de análise da urina e outro de sangue. O primeiro identifica a presença de uma proteína (albumina) na urina, e o exame de sangue verifica a presença de outra, a creatinina.

Tratamento

Não existe cura para a doença renal crônica, embora o tratamento possa retardar ou interromper a progressão da doença e impedir o desenvolvimento de outras condições graves. A insuficiência renal pode ser tratada com medicamentos e controle da dieta. Nos casos mais extremos pode ser necessária a realização de diálise ou transplante renal, como terapêutica definitiva de substituição da função renal.

Prevenção

O primeiro passo é prevenir o desenvolvimento da hipertensão arterial e controlar a diabetes, doenças que mais levam à insuficiência renal.

Embora medidas eficazes de prevenção e progressão da DRC sejam importantes, os pacientes com doença renal – incluindo aqueles que dependem de diálise, e os transplantados renais – devem sentir-se apoiados, junto aos seus familiares e acompanhantes, especialmente durante pandemias e outros períodos críticos. A inclusão dos pacientes com DRC na vida cotidiana é o foco principal desta campanha, tendo como objetivo final, o de viver bem com a doença renal.

Sobre o Sistema Hapvida

Com mais de 6,7 milhões de clientes, o Sistema Hapvida hoje se posiciona como um dos maiores sistemas de saúde suplementar do Brasil presente em todas as regiões do país, gerando emprego e renda para a sociedade. Fazem parte do Sistema as operadoras do Grupo São Francisco, RN Saúde, Medical, Grupo São José Saúde, além da operadora Hapvida e da healthtech Maida. Atua com mais de 36 mil colaboradores diretos envolvidos na operação, mais de 15 mil médicos e mais de 15 mil dentistas.

Os números superlativos mostram o sucesso de uma estratégia baseada na gestão direta da operação e nos constantes investimentos: atualmente são 45 hospitais, 191 clínicas médicas, 46 prontos atendimentos, 175 centros de diagnóstico por imagem e coleta laboratorial.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.