Últimas

Assembleia Legislativa é parceira da sociedade no Dia Mundial de Conscientização do Autismo

Em alusão ao Dia Mundial de Conscientização do Autismo, instituído em 2007, todo dia 2 de abril, os principais cartões postais do mundo são iluminados na cor azul para lembrar a data e chamar a atenção da mídia e sociedade para o Transtorno do Espectro Autista (TEA).

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

A Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) ilumina o prédio de sua sede e destaca as principais conquistas em forma de leis que protegem e asseguram direitos das pessoas portadoras do transtorno.

É o caso do Projeto de Lei (PL) nº 55 de 2019, da deputada Therezinha Ruiz (PSDB), já transformado na Lei nº 4.824 de 2019, que instituiu na rede estadual de ensino a Semana Estadual de Conscientização do Autismo. O objetivo, de acordo com Therezinha, é promover campanhas nas escolas, com seminários, palestras e cursos sobre o TEA. “É na escola que tem início a convivência da criança com as outras. Se faz necessário, no processo de socialização, de políticas públicas de inclusão que busquem lutar contra preconceitos e discriminações tão difundidas em nossa sociedade”, esclareceu.

Também aprovado e sancionado em Lei, o PL nº 138 de 2019 (Lei nº 5.012 de 2019), da deputada Joana Darc (PL), proíbe a cobrança de taxas extras para matrícula ou mensalidade de estudantes com Síndrome de Down, Autismo, transtorno invasivo do desenvolvimento ou outras síndromes. “Tivemos a intenção de ampliar ainda mais a atuação do Poder Público no combate à discriminação e dar aos alunos especiais tratamento digno, acabando com exigências abusivas de cobranças de taxas extras, pois a escola é o local que deve servir como exemplo para a prática da inclusão social”, afirmou Joana.

A Aleam também aprovou o projeto do deputado Adjuto Afonso (PDT) – Lei nº 5.165 – que cria no Amazonas o Cadastro Único da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista. Segundo Adjuto, a finalidade é coletar, processar e sistematizar informações de bases de dados para integrá-las ao Sistema de lnformação de órgãos públicos estaduais.

Em tramitação

Também nasceram na Aleam e aguardam pareceres das Comissões Técnicas da Casa dois projetos, um do deputado Wilker Barreto (Podemos), que quer garantir às crianças de zero a três anos, na rede pública de saúde do Estado, o acesso a exames e avaliações para diagnóstico precoce do autismo, realizados por equipes multidisciplinares compostas por médicos, enfermeiros, psicólogos, fonoaudiólogos, assistentes sociais e terapeutas ocupacionais, entre outros profissionais.

Já o projeto do deputado Álvaro Campelo (Progressistas) tem o objetivo de tornar imprescritíveis os laudos médicos-periciais que atestem TEA, para fins de obtenção de benefícios. A justificativa do PL nº 381 de 2020 é que o TEA não é doença passageira ou intermitente. “Uma vez diagnosticado que a pessoa é portadora do TEA, é uma condição que a acompanha para o resto da vida, não havendo possibilidade de regressão ou desaparecimento do transtorno”, explicou o parlamentar estadual.

Dia Mundial

Em 2007, a Organização das Nações Unidas (ONU), definiu todo dia 2 de abril como sendo o Dia Mundial de Conscientização do Autismo, quando cartões-postais de todo o planeta se iluminam de azul — no Brasil, o mais famoso é o Cristo Redentor — para lembrar a data e chamar a atenção da mídia e da sociedade para o Transtorno do Espectro do Autismo (TEA).

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.