Últimas

Elliot Page relata mudanças em sua vida desde que se assumiu como homem transgênero: - Realmente sou capaz de existir

Depois de assumir ser um homem transgênero, Elliot Page tem compartilhado um pouco sobre como sua vida tem se transformado. Em entrevista para a revista Vanity Fair, Elliot voltou a falar sobre o assunto, entregando que finalmente pode se sentir ele mesmo.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

- A diferença mais significativa é que eu realmente sou capaz de simplesmente existir. Não ter uma distração constante, todas essas coisas que não estão conscientes. Pela primeira vez em, eu nem sei quanto tempo, [estou] realmente sendo capaz de sentar-me sozinho, estar sozinho, ser produtivo e ser criativo. É uma simplificação exagerada dizer isso desta forma, mas me sinto confortável. Esta é a primeira vez que me sinto realmente presente com as pessoas, que posso estar realmente relaxado e não ter uma ansiedade que está sempre me puxando.

O ator conta que assumir sua identidade também causou impactos muito positivos no aspecto profissional de sua vida, e que se sente mais apto para ser criativo e se aventurar em novos projetos:

- O que mais aconteceu é essa enorme explosão de criatividade. Um dos meus melhores amigos e eu escrevemos nosso primeiro roteiro, estou desenvolvendo outras coisas agora e fiz algumas músicas com outro amigo. Toda essa energia e tempo eu gastava para me sentir desconfortável, verificando constantemente meu corpo, apenas me sentindo mal. Eu tenho uma nova capacidade de explorar criativamente e escrever, isso tem sido realmente incrível. Em termos de atuação, acho que ainda não sei bem. Estou muito mais confortável e presente, então é difícil imaginar que isso não esteja afetando o trabalho. Estou imaginando que quanto mais eu conseguir incorporar quem eu sou e existir no corpo em que quero existir, haverá uma diferença.

Page conta ainda que, embora a história de descobrimento de cada pessoa seja singular, ele sabia que era um menino desde criança. Elliot conta que costumava até mesmo escrever falsas cartas de amor e assiná-las sob o nome Jason, de modo que não compreendia quando as pessoas adultas lhe diziam que ser um menino não era possível:

- Cada pequeno aspecto da minha vida, isso é quem eu era, quem eu sou e quem eu sabia que era. Eu tinha certeza que era um menino. Eu simplesmente não conseguia entender quando me diziam: Não, você não é [um menino]. Não, você não pode ser isso quando ficar mais velho. Agora estou finalmente voltando a me sentir quem sou, e é tão lindo e extraordinário, e de certa forma há uma tristeza nisso.

Questionado sobre a onda de movimentos que deslegitimam os direitos da comunidade LGBTQIA+ - e, principalmente, da comunidade trans - nos Estados Unidos, Elliot afirma que é difícil viver esse momento de alegria e aceitação em meio a tantas incertezas e medos:

- Meus sentimentos não são realmente lineares. Sinto alegria e empolgação emergentes e, no momento seguinte, profunda tristeza ao ler sobre pessoas que desejam tirar dos filhos os cuidados de saúde de afirmação de gênero. Sinto-me muito grato por estar neste lugar em minha vida e quero usar a força que tenho para ajudar de todas as maneiras que puder.

Foi essa vontade de fazer a diferença, inclusive, que levou Elliot Page a dar uma entrevista para Oprah Winfrey durante o programa The Oprah Conversation, da Apple TV+:

- Era algo com que eu precisava fazer, porque a reação agora é muito intensa. A retórica vinda de ativistas anti-trans e anti-LGBTQ é devastadora. Então parecia uma oportunidade de usar uma plataforma de amplo alcance para falar do meu coração sobre algumas das minhas experiências e os recursos que pude acessar - seja terapia ou cirurgia - que me permitiram estar vivo, para viver minha vida.

A conversa com a famosa apresentadora é a primeira entrevista gravada que Elliot dará desde que se assumiu como homem transgênero, e deve ir ao ar na plataforma na próxima sexta-feira, dia 30.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.