Últimas

Governo realiza vistoria em área de intervenção do Prosamim

O Governo do Estado, por meio da Unidade Gestora e Projetos Especiais (UGPE), e do Grupo Integrado de Prevenção às Invasões em Áreas Públicas no Estado do Amazonas (Gipiap), realizou, nesta quinta-feira (22/04), vistorias e notificações aos moradores que residem em área de intervenção do Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus (Prosamim), no igarapé do 40.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

A ação contou com o apoio da Superintendência de Habitação (Suhab) e da Secretaria Executiva Adjunta de Operações (SEAOP/SSP). A vistoria e as notificações ocorreram nas frentes de obras 02, 03 e 05, onde os moradores foram notificados e informados sobre a necessidade da desocupação dos imóveis. Os moradores que foram notificados já receberam suas soluções de moradia. Ao todo, foram notificados três imóveis e também foram realizadas atividades de sensibilização junto a imóveis extras.

De acordo com a assistente social, Alinny Lima, as ações de monitoramento realizadas pelo setor social da UGPE, diariamente, identificaram moradores que já receberam sua solução de moradia ou construíram imóveis após o levantamento das residências na área.

“Os pagamentos desses moradores notificados foram realizados no mês de dezembro do ano passado, teoricamente, esses moradores teriam 10 dias úteis após o pagamento para desocuparem o imóvel, e hoje, quase 4 meses depois do período legal para retirada do imóvel, os moradores permanecem nas residências, então viemos realizar essa notificação junto aos moradores”, explica a assistente social.

Grupo Integrado – O grupo foi criado com o objetivo de superintender as ações integradas dos órgãos e entidades da administração direta e indireta do Poder Executivo Estadual, nas ações preventivas e repressivas a ocupações irregulares em áreas públicas de propriedade do Estado do Amazonas. O Gipiap foi estabelecido em julho de 2015.

Intervenções no igarapé do 40 – As obras do Prosamim, entre as avenidas Silves e Maués, tem a estimativa de beneficiar mais de cinco mil pessoas, através da retirada de mais de 600 imóveis do leito do igarapé, e com a criação de áreas verdes e de convívio social, da drenagem no igarapé, saneamento no local e intervenções de mobilidade urbana, como a construção de uma via interligando o Distrito Industrial ao Centro através da Manaus Moderna.

A subcoordenadora social da UGPE, Viviane Dutra, afirma que o Governo do Estado tem prazos a serem cumpridos em relação aos cronogramas de obras e de reassentamento do Prosamim. A subcoordenadora reitera que os moradores que já receberam suas soluções de moradia tiveram esse prazo flexibilizado, porém nesse momento, a ocupação do imóvel já impacta na intervenção de obra.

“Se a pessoa já recebeu seu auxílio aluguel é para que ela deixe a área de risco enquanto busca um imóvel para sua moradia; e se ela recebeu sua solução de moradia e permanece no imóvel, ela descumpre um acordo firmado entre o Governo do Estado e a família beneficiária. Nós temos casos de famílias que o marido já foi indenizado pelo imóvel e a companheira do mesmo decide permanecer no local buscando receber outra indenização”, afirmou Dutra.

A subcoordenadora ressalta que muitas pessoas recorrem ao desmembramento familiar, na intenção de que cada membro da família receba uma indenização e tenha seu imóvel próprio, no entanto, nós deixamos claro para as famílias que se um membro do grupo já recebeu atendimento, outro familiar não poderá receber.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.