Últimas

Maternidade Moura Tapajóz recebe profissionais do programa de residência em Enfermagem Obstétrica

A Maternidade Dr. Moura Tapajóz (MMT), da Prefeitura de Manaus, recebeu na quarta-feira, 7/4, 12 profissionais do programa de residência em Enfermagem Obstétrica da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), coordenado pela professora Maria Suely de Sousa Pereira.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

Os residentes foram recepcionados pela diretora da unidade, enfermeira obstetra Núbia Cruz; pelo gerente de enfermagem Everton de Freitas Gomes; e pela responsável pelo Núcleo de Educação Continuada e Permanente da maternidade, enfermeira Glenda Amorim.

“Ficamos muito felizes e orgulhosos de receber esse grupo de profissionais, que, tenho certeza, vão aprender e nos ensinar muito no período em que estiverem na Moura Tapajóz. Aqui, eles terão todas as condições e todo suporte tanto da equipe técnica quanto da gestão para desenvolverem seu potencial”, enfatizou Núbia Cruz.

Durante o acolhimento, foi ressaltada a necessidade de padronização do atendimento por meio do Protocolo Assistencial de Parto e Nascimento, documento que apresenta orientações sobre as práticas recomendadas no momento do parto e nascimento, segundo o preconizado pela Organização Mundial de Saúde (OMS); pelo Ministério da Saúde, por meio da Rede Cegonha; e pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (Conitec) e que respalda a atuação do enfermeiro obstetra na assistência.

Núbia Cruz também destacou que estamos vivendo um período muito complicado na Saúde Pública, com significativas perdas e limitações em razão da pandemia. “No entanto, apesar das dificuldades, temos que seguir avançando e qualificando a assistência, sempre pautados pelas mais recentes evidências científicas e seguindo todos os protocolos de segurança”, afirmou a diretora.

Segundo o Portal de Boas Práticas da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), a atuação da enfermagem obstétrica tem sido fundamental para qualificação do cuidado, pois está associada à redução de intervenções desnecessárias, incluindo a cesariana. Por isso, hoje, o potencial da enfermagem obstétrica para melhorar a qualidade do cuidado já é reconhecido pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e é parte do modelo de assistência ao parto e nascimento preconizado pela entidade.

Em 2020, a Moura Tapajóz promoveu o “1° Curso de Aperfeiçoamento para Enfermeiros Obstetras” realizado pela iniciativa local em toda a região Norte. O curso aconteceu em parceria com a Associação Brasileira de Obstetrizes e Enfermeiros Obstetras do Amazonas (Abenfo-AM), Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e teve o objetivo de reforçar as práticas baseadas em evidências científicas no cuidado obstétrico e neonatal, fortalecendo a iniciativa para a mudança do modelo assistencial por meio da inserção de enfermeiros obstetras.

“Agora, com a chegada dos enfermeiros obstetras residentes, damos mais um passo para implementação efetiva da prática na Moura Tapajóz”, assegurou o gerente de enfermagem Everton de Freitas Gomes. “Sempre destacando que o enfermeiro obstetra atua no cenário de parto de risco habitual, ou seja, de baixo risco, não excluindo a figura do médico da assistência”, explicou o gerente.

A diretora da MMT, Núbia Cruz, destacou que a presença dos enfermeiros obstetras complementa o cuidado nessas situações, e, ao mesmo tempo, otimiza a assistência nos outros casos de maior complexidade, em que a assistência especializada do médico obstetra se faz imprescindível. “No próximo concurso realizado pela Prefeitura de Manaus, já haverá vagas previstas especificamente para enfermeiros obstetras, o que reforçará ainda mais o trabalho que está sendo desenvolvido na Moura Tapajóz”, completou.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.