Últimas

Prefeitura apoia campanha pela saúde da voz

“A Voz e a Pandemia da Covid-19” é um dos assuntos abordados na campanha Amigos da Voz 2021, promovida pela Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia, para marcar o Dia Mundial da Voz, comemorado em 16 de abril.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

Em Manaus, a divulgação da campanha conta com o apoio da prefeitura, por meio do Centro de Referência de Saúde do Trabalhador (Cerest/Manaus), órgão vinculado à Secretaria Municipal de Saúde (Semsa).

De acordo com a técnica do Cerest/Manaus, a fonoaudióloga Socorro Soares, o tema da campanha deste ano é “Sua Voz Diz Muito Sobre Você” e tem como objetivo chamar a atenção da sociedade para a relação de identidade e voz no contexto social, assim como os sinais que podem indicar problemas de saúde.

“Um distúrbio de voz pode ter até mesmo consequências no mercado de trabalho, considerando que a voz pode gerar a impressão de incredibilidade ou credibilidade e segurança para o receptor da mensagem”, esclareceu Socorro Soares, que também é especialista em Saúde do Trabalhador.

Além disso, a campanha vem reforçar a necessidade de cuidados com a voz nesse momento de pandemia da Covid-19, em que cada pessoa precisa trabalhar usando máscaras, que é essencial como equipamento de proteção individual e coletiva na redução do risco de transmissão do novo coronavírus, mas que pode causar um esforço maior no uso da voz.

“A voz ganha amplitude a partir da boca e do nariz, e se propaga em ondas sonoras. A máscara é um equipamento essencial de proteção individual no trabalho, mas ela funciona como uma barreira mecânica na propagação do som. Para superar essa barreira, alguns profissionais acabam fazendo um esforço vocal a mais”, explicou Socorro Soares.

Profissionais como professores, repórteres, advogados e pessoas que trabalham atendendo ao público são algumas das categorias que precisam ter uma atenção redobrada em relação aos cuidados com a voz e aos sinais e sintomas que podem indicar algum problema de saúde.

“No caso do repórter, tem fator agravante pelo trabalho externo, na rua, com o ruído do ambiente, o que torna necessário um esforço a mais. Já os professores, a maioria tem trabalhado em sistema híbrido, presencial e virtual, o que significa que há a preocupação com o uso de máscaras com os alunos e uma sobrecarga trabalhando em uma plataforma a que não estavam acostumados, em demandas diferenciadas para o uso da voz”, alertou a fonoaudióloga.

Outro público que pode ser impactado na relação à Covid-19 é o das pessoas que foram infectadas pelo novo coronavírus que precisaram de intubação, tiveram sequelas neurológicas, resultando na necessidade de reabilitação vocal. “Também há estudos que apresentam prevalência e gravidade da lesão na laringe, que se mostraram proporcional ao período de tempo que o paciente precisou ficar intubado, impactando no risco de disfonia, quando há rouquidão, e de disfagia, que é a dificuldade para engolir alimentos ou líquidos, após a extubação”, informou Socorro.

Sintomas

Em relação à saúde da voz, a população deve ficar alerta para sinais como rouquidão, ardência, falhas e cansaço para falar por mais de 15 dias e sem motivo aparente, como infecções de garganta, esforço ao falar em situações de apresentação, como palestras ou ocasião semelhante.

Socorro Soares lembrou que alterações vocais podem ainda apontar para doenças neurológicas, como a Doença de Parkinson, refluxo gastroesofágico ou câncer de laringe. “Por isso é importante ter atenção com tudo o que possa afetar a identidade vocal e procurar orientação e atendimento especializados”, orientou.

Dicas para ser “Amigo da Sua Voz”

Articule bem as palavras, sem realizar esforço vocal;

Mantenha uma boa postura corporal ao falar ou cantar;

Beba água com frequência para manter a hidratação das estruturas vocais;

Tenha uma alimentação saudável rica em frutas e proteínas;

Use roupas confortáveis que permitam uma boa movimentação de abdômen, tórax e pescoço;

Procure reduzir a quantidade de fala durante quadros gripais, crises alérgicas e período pré-menstrual;

Evite falar por longos períodos, principalmente em ambientes ruidosos;

Evite pigarrear, gritar e dar gargalhadas exageradas;

Evite ingerir leite e derivados, bebidas gasosas e chocolate antes de utilizar a voz de forma contínua;

Se você é um profissional que faz uso contínuo da voz para demandas de trabalho, ao mesmo tempo em que faz o uso de máscaras, uma das estratégias é a utilização do microfone para melhor projeção do som;

Evite ingerir álcool em excesso, bem como outras drogas;

Em situações de comunicação no ambiente on-line procure manter seu rosto bem iluminado, posicione-se no centro da câmera e faça pequenas pausas para alongamentos corporais e relaxamento.

Esteja atento aos primeiros sintomas de alteração vocal como cansaço, ardor ou dor ao falar, falhas na voz, mudança de tom, pigarro e rouquidão. No caso de problemas vocais, procure um fonoaudiólogo e um médico otorrinolaringologista.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.