Últimas

Telesseminário SUS na Floresta debate soluções no atendimento de saúde em comunidades ribeirinhas e indígenas

Para debater e propor soluções no atendimento de saúde que atendam às demandas das populações amazônicas, a Fundação Amazônia Sustentável (FAS) realiza na próxima terça-feira, dia 4 de maio, das 8h às 12h, o Telesseminário SUS na Floresta - Saúde Ribeirinha.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

O evento online é aberto, gratuito e pode ser acessado pelo aplicativo zoom, através do link: abre.ai/cDxC. O público alvo do seminário são equipes municipais de saúde (gestores e técnicos), líderes e representantes de populações ribeirinhas, acadêmicos, pesquisadores e interessados em geral no tema de saúde.

A consultora do Programa SUS na Floresta da FAS, Nathalia Flores, destaca que “os telesseminários são espaços de construção e validação de propostas para aprimoramento dos serviços de saúde voltados às populações tradicionais amazônicas. É um espaço de discussão e busca de soluções em torno dos temas mais vulneráveis da saúde indígena e ribeirinha”.

Idealizado pela FAS, os telessemirários fazem parte do projeto SUS na Floresta, desenvolvido em parceria com o programa “Todos pela Saúde”, que busca cooperar com o aprimoramento dos sistemas de atenção básica de saúde em territórios indígenas e localidades ribeirinhas, visando a promoção da saúde, do cuidado na qualidade de vida e do bem-estar de indígenas e ribeirinhos, a partir de um sistema de saúde conectado às suas especificidades e necessidades.

Saúde Indigena

O primeiro Telesseminário SUS na Floresta - Saúde Indígena foi realizado, nesta quarta-feira, dia 28, com foco na saúde indígena e a participação de 50 pessoas.

Estiveram presentes a superintendente de Desenvolvimento Sustentável de Comunidades da FAS, Valcleia Solidade, o coordenador do Programa de Saúde na Floresta da FAS, Luiz Castro, e ainda representantes das organizações: Fundação Nacional do Índio (FUNAI), Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (COIAB), Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro (FOIRN), Associação Indígena Kuikuro do Alto Xingu - AIKAX, Associação de Mulheres Indígenas do Médio Solimões (AMIMS), União dos Povos Indígenas do Vale do Javari (UNIVAJA) e dos Distritos Sanitários Especiais Indígenas da região.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.