Últimas

Adaf renova registro de revendas e prestadoras de serviços de aplicação de agrotóxicos

Visando coibir a comercialização, a aplicação de agrotóxicos indevidamente e evitar impactos ambientais e danos à saúde das pessoas no Amazonas, o Governo do Amazonas, por meio da Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf), renovou, durante esta semana, o registro de uma revenda agropecuária e duas prestadoras de serviços de aplicação de agrotóxicos, ambas localizadas em Manaus.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

As renovações de estabelecimentos comerciais para revenda, prestadores de serviços e postos de recebimento de embalagens vazias e com resíduos de agrotóxicos devem ser realizadas anualmente. Entre as empresas com os registros renovados junto à agência estão: Agrominas (revenda de agrotóxicos) e Alfama e Emops (prestadoras de serviços na aplicação de agrotóxicos).

“O certificado de registro para a comercialização dos agrotóxicos é muito importante para uma empresa, porque esse certificado adequa a empresa vender esses produtos da melhor forma, comercializando esses produtos somente para pessoas que trabalham na agricultura, que vão utilizar de maneira eficaz, para não prejudicar o meio ambiente, a água e o solo. Com isso, podemos trabalhar de maneira responsável com esses produtos”, destacou a assistente administrativa da Agrominas, Kassia Alves.

No Amazonas, a Adaf é responsável por regularizar e registrar os estabelecimentos que revendem agrotóxicos e afins, e prestadoras de serviços na aplicação de agrotóxicos. Além desses registros, a agência cadastra os agrotóxicos que podem ser comercializados no Amazonas, conforme as recomendações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

“Estamos buscando o registro das revendas e dos produtos, visando coibir a venda de produtos clandestinos, que podem, se utilizados indevidamente, causar danos não só à cultura, mas prejuízos aos produtores rurais, como também ao meio ambiente e à saúde pública”, destacou o diretor-presidente da Adaf, Alexandre Araújo.

A Adaf alerta que toda venda de agrotóxicos no Amazonas deve ser realizada por estabelecimentos registrados na agência. A meta da Adaf é ter pelo menos um estabelecimento regularizado em cada município amazonense.

A falta de registro dos estabelecimentos dessa natureza junto à Adaf gera multa de R$ 1 mil, que pode graduar conforme a tipificação, até o limite de R$ 25 mil.

Atualmente, a Adaf conta com 16 estabelecimentos registrados, entre revendas, empresas prestadoras de serviços com agrotóxicos e postos ou centrais de recebimento de embalagens vazias, localizados em Manaus, Manicoré (Santo Antônio do Matupi), Manacapuru, Apuí, Boca do Acre, Tefé e Itacoatiara.

Ao todo, 662 agrotóxicos são cadastrados na Adaf para serem comercializados no Amazonas. São produtos como herbicidas, inseticidas, fungicidas e formicidas, que contribuem para o controle de pragas, doenças e plantas daninhas para agricultura e pecuária, garantindo o aumento da produção e produtividade.

Regularização – Para solicitar a regularização, revendedores, prestadores de serviços com agrotóxicos e postos de recolhimento de embalagens vazias devem atender a uma série de pré-requisitos e entregar à Adaf um Requerimento disponível no site (www.adaf.am.gov.br), juntamente com cópias de documentos, como licença de operação expedida pelo Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), contrato do responsável técnico e certidão de registro e quitação da empresa no conselho de fiscalização profissional.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.