Últimas

Duas pessoas se contaminam com rabdomiólise após comer tambaqui no Amazonas

Manaus/AM - Após a infecção por rabdomiólise, de duas pessoas que consumiram tambaqui contaminado em Itacoatiara, a Secretaria Municipal de Saúde do município emitiu alerta para médicos e enfermeiros, na última segunda-feira (24). 

Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO   

Em comum, os pacientes dos casos apresentam relatos de ingestão de pescado. Os pacientes relataram que consumiram o peixe e horas depois, começaram a apresentar sintomas como mialgias, tontura, náuseas e vômitos.


O médico e também vereador pelo município, Robson Siqueira, explicou que a doença é relativamente comum na cidade. “Mas, neste caso específico foi um caso isolado. Há relatos de que o peixe se contamina ao ingerir uma fruta da região, mas não tem nada confirmado”, disse o parlamentar ao ressaltar que a toxina responsável pelas alterações não foi identificada.

A doença de Haff é uma síndrome de rabdomiólise inexplicada após o consumo de certos tipos de peixes. Isso evolua a rabdomiólise, podem apresentar insuficiência renal, em que a coloração da urina (marrom escura) é um marcador importante. Os sintomas geralmente aparecem aproximadamente 18 horas após a pessoa comer peixe.

Aos primeiros sintomas, o paciente deve buscar uma unidade de saúde e outros indivíduos que possam ter consumido do mesmo peixe ou crustáceo devem ser identificados.

O caso é acompanhado pela Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM).

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.