Últimas

Meninas de 12 a 17 anos representam 60% de desaparecidos em Manaus

Manaus/AM - Meninas de 12 a 17 anos representam cerca de 60% dos casos de desaparecidos em Manaus, é o que aponta o levantamento da Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM). 

Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO  

Conforme os dados, de janeiro a dezembro do ano passado, as delegacias de Manaus receberam 81 notificações de desaparecimento de crianças e adolescentes. Neste ano, até abril, já foram registrados 25 casos. Os casos de desaparecimento se enquadram nas chamadas fugas do lar e, muitas vezes, são consequência de conflitos familiares, relacionamentos proibidos ou até envolvimento com atos ilícitos.

A titular da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), delegada Joyce Coelho, explica que é realizado um trabalho de investigação para elucidar o desaparecimento. "A gente recebe o caso e passa a fazer diligências a fim de localizar a criança. Nós temos o setor que faz a escuta com a família, para que a gente possa verificar todas as circunstâncias que levaram essa criança ou adolescente a desaparecer. A equipe investiga o que levou esse menor a sair de casa, às vezes, ele é estimulado e levado por violências naquele ambiente familiar”, disse a delegada.

Ela também destaca que a família deve procurar imediatamente uma delegacia para registrar o desaparecimento. “Precisamos desmistificar aquilo de que se deve esperar 24 horas. Se, por exemplo, a criança e o adolescente deveriam ficar em casa em tal horário e não estão, no mesmo instante, procure registrar essa ocorrência. Quanto menos tempo se perde nesse tipo de caso, é mais fácil para a gente elucidar”, ressaltou.

Cooperação – Em 2019, a SSP-AM e o Ministério Público do Estado (MP-AM) firmaram acordo de cooperação técnica, por meio do Sistema Nacional de Localização e Identificação de Desaparecidos (Sinalid), para o enfrentamento do desaparecimento de pessoas.

“O Ministério Público tem um sistema interligado com outros estados da federação que faz uma busca por esse jovem desaparecido. É importante a gente sensibilizar, sobretudo os pais de adolescentes, que saem de casa e que não retornam para informar a delegacia, porque precisamos atualizar constantemente para ir dando baixa nesse número”, explicou Joyce Coelho.

Caso Erlon – O pequeno Erlon Gabriel Dias Costa, de 2 anos, desapareceu na manhã do dia 6 de fevereiro de 2020, enquanto brincava no pátio de casa, no bairro Tarumã-Açu, zona oeste de Manaus.

“Existe na nossa linha de investigação que essa criança pode ter caído no rio, mas em caso de desaparecimento, enquanto não houver um corpo, a gente não pode afirmar o que de fato aconteceu. São situações realmente muito tristes e que existem tanto aqui no Amazonas como no mundo afora”, disse.

Denúncias – Os registros de desaparecimentos podem ser feitos diretamente no prédio da Depca, situado na avenida Via Láctea, conjunto Morada do Sol, bairro Aleixo, zona centro-sul da cidade. Delações também podem ser realizadas por meio do número 181, o disque-denúncia da SSP-AM.gbb

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.