Últimas

Prefeitura de Manaus destaca papel de enfermeiros no enfrentamento à Covid-19

A importância do enfermeiro na promoção da saúde e do bem-estar ganha mais destaque no enfrentamento à Covid-19, uma crise sanitária mundial que vem desafiando as autoridades de saúde.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

Nesta quarta-feira, 12/5, quando se comemora o Dia Internacional da Enfermagem e do Enfermeiro, a Prefeitura de Manaus destaca o papel social desse profissional no combate ao novo coronavírus.

A secretária municipal de Saúde, Shádia Fraxe, avalia que além do preparo técnico e científico, neste momento em especial, o profissional da enfermagem está demonstrando muita estabilidade emocional para lidar com sentimentos que variam desde a ansiedade até a frustração, manifestados pelos usuários.

“É importante reconhecer que o comprometimento desses profissionais tem sido essencial para o combate à Covid-19. Além da vacinação, o trabalho deles nas demais áreas da atenção primária de saúde tem um impacto muito significativo na vida das pessoas mais vulneráveis”, sintetiza.

Na atenção primária do Sistema Único de Saúde (SUS), a Semsa concentra 1.038 enfermeiros que realizam consultas, exames complementares, prescrevem e transcrevem medicações, conforme protocolos estabelecidos nos programas do Ministério da Saúde (MS), planejam, gerenciam e coordenam atividades em unidades de saúde e outras atividades que têm o objetivo de promover a saúde coletiva.

Imunização

Desde o dia 19 de janeiro, quando iniciou a vacinação contra a Covid-19 em Manaus, uma boa parte do corpo da enfermagem da Semsa está voltada para a imunização dos grupos prioritários. A diretora do Departamento de Vigilância Ambiental e Epidemiológica (Devae), enfermeira Marinélia Ferreira, assinala que o papel desse profissional de saúde extrapola a aplicação de doses da vacina.

“Além da capacidade técnica, o enfermeiro precisa ter inteligência emocional diante do cenário atual. Todos estão ansiosos pela vacina, muitos têm dificuldade para chegar ao posto de vacinação e existem aquelas situações em que o usuário não faz parte do grupo prioritário. Nesse caso é preciso esclarecer e orientá-lo, mas muitas vezes a reação é de frustração e o profissional precisa lidar com essa pressão toda”, explica.

Liderança

Além da empatia e da relação de confiança com o público, o profissional de enfermagem precisa, ainda, ter capacidade de liderança para orientar os técnicos e auxiliares de enfermagem que estão sob seu comando. Marinélia Ferreira, uma das coordenadoras da vacinação contra a Covid-19 em Manaus, pontua que o esforço diário consiste em equilibrar o atendimento às necessidades do usuário sem perder de vista os limites da sua área de atuação.

“A chegada da vacina trouxe esperança, mas foi um desafio lidar com ruídos de comunicação que prejudicaram o nosso trabalho. Para corrigir essas distorções, foram necessárias muitas reuniões de alinhamento e orientação com as equipes, produção de notas técnicas, realização de treinamentos e orientações diárias para quem está nos pontos estratégicos”, acentuou.

Se por um lado, lidar com o público neste momento representa um exercício de compreensão e comprometimento em prestar um bom atendimento, por outro, mesmo sendo um contexto delicado, há muitos aspectos positivos.

“Existem momentos recompensadores, principalmente quando a pessoa que recebe a vacina, agradece de coração. Você percebe a emoção e a gratidão ao profissional da enfermagem, à saúde pública, a tudo aquilo que o SUS proporciona”, frisou.

Atenção Primária

A chefe do Núcleo de Saúde da Criança e do Adolescente da Semsa, enfermeira Ivone Amazonas, explica que esse profissional está à frente da atenção primária atuando no planejamento, coordenação e execução de programas e ações nas Unidades de Saúde da Família, levando em conta as reais necessidades de saúde da população atendida.

Esse trabalhador da saúde, explica Ivone Amazonas, também executa as ações de assistência integral a crianças, mulheres, adolescentes, adultos e idosos, além de supervisionar e executar ações para capacitação dos agentes comunitários de saúde, técnicos e auxiliares de enfermagem.

“É um papel imprescindível e todo dia é um desafio novo e um dos maiores é resguardar a saúde de nossos familiares. Seguimos todos os cuidados para protegê-los. Por isso pedimos, se puder, fique em casa”.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.