Últimas

RGs perdidos em lojas devem ser devolvidos ao Instituto de Identificação para bloqueio de segurança

Em locais com grande circulação de pessoas é comum existir seções de “achados e perdidos” de objetos e, principalmente, de documentos. No caso dos Registros Gerais (RGs), a orientação aos estabelecimentos comerciais e espaços públicos é manter a guarda da identidade por, no máximo, 60 dias. Depois disso, o documento deve ser encaminhado ao Instituto de Identificação do Amazonas para bloqueio de segurança.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

Mais de 2,7 mil identidades perdidas aguardam pelo resgate de seus titulares. Especificamente nos casos de perda, o RG é considerado como um objeto comum. Por essa razão, é recomendável que o estabelecimento permaneça com o documento no local por até dois meses, para que o cidadão que o perdeu possa voltar para procurá-lo, como explica o gerente do Instituto de Identificação, perito Ivan Farias.

“O raciocínio é que esse objeto encontrado seja mantido durante algum tempo naquele local, por uma questão de lógica. Se a pessoa foi ao shopping ou restaurante, naturalmente vai tentar refazer aquele caminho, como uma forma de facilitar para que encontre o seu documento”, disse.

No caso de demora na busca pelo documento, os estabelecimentos comerciais podem enviar o RG para a sede do Instituto de Identificação, que fica na avenida Pedro Teixeira, Dom Pedro, em frente ao Centro de Convenções Prof. Gilberto Mestrinho (Sambódromo).

Lá, o documento será bloqueado por motivo de segurança e enviado para um dos postos de identificação nas unidades de Pronto Atendimento ao Cidadão (PACs). Quando o cidadão busca os postos para uma nova via, é informado sobre o bloqueio e a localização do documento. Essa é uma medida que gera economia aos cofres públicos.

“Os órgãos, lojas, restaurantes que, de repente, permanecerem com o documento durante muito tempo, e a pessoa não retornou, podem encaminhar para o Instituto. Aqui fazemos o registro e bloqueio, para que a pessoa, ao desistir de encontrar e buscar emitir um novo, o sistema vai ver que aquele documento foi encontrado e, dessa forma, a gente consegue contribuir com o cidadão e até reduzir custo de emissão de RG”, explica Ivan Farias.

O cidadão pode consultar no site da Secretaria de Estado da Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), na aba “Encontre seu Documento”, aqueles já devolvidos aos PACs. O acesso pode ser feito no link: http://www.sejusc.am.gov.br/encontre-seu-documento.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.