Últimas

SES-AM promove treinamento de gestores para análise de custos em unidades de saúde

O Núcleo de Economia da Saúde (NES) da Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (SES-AM) iniciou, nesta terça-feira (04/05), o treinamento de gestores de unidades de saúde da rede pública estadual, sobre análise de custos de procedimentos e dos departamentos. O treinamento acontece na Escola de Formação Profissional Enfermeira Sanitarista Francisca Saavedra, unidade do Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam).

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

Diretores e gestores de custo de sete unidades do Serviços de Pronto Atendimento (SPAs) participam do treinamento até quinta-feira (06/05). Eles serão orientados sobre como realizar a coleta de todas as despesas e, também, a inserção dos valores no Sistema de Apuração e Gestão de Custos do Sistema Único de Saúde (Apurasus).

A coordenadora do NES, Daniele Magalhães, explicou que o estado, há um ano e meio, passou a participar do Programa Nacional de Gestão e Custos, promovido pelo Ministério da Saúde, que tem como objetivo identificar a origem das despesas para direcionamento de recursos em áreas de maior demanda. Cerca de 360 unidades de saúde de todo o país estão inseridas neste programa.

“Considerando que estamos em um mundo de escassez, tanto de recursos financeiros, quanto de recursos humanos, a gente precisa ter essa noção de forma bem evidente para poder alocar, atender da melhor forma possível a população”, contou a coordenadora.

Daniele afirma que o sistema Apurasus permite, a cada unidade de saúde, inserir os dados de custos dos procedimentos realizados e de manutenção dos departamentos. Desta forma é possível que uma unidade de saúde consiga identificar o custo médio de um atendimento, de um leito clínico, em determinado mês do ano.

A coordenadora do NES explica que os custos de atendimento não ficam restritos apenas à hora do plantão de um médico, por exemplo, pois também englobam despesas com a limpeza, alimentação, medicação, segurança, administração, custos com a diretora e financeiro.

“A partir disso a gestão do hospital começa a se direcionar para alocar recurso financeiro em procedimentos e departamentos mais demandados pela população. Isso tem sido muito importante para a gestão poder tomar a decisão de reduzir ou ampliar espaços e otimizar profissionais”, esclareceu Daniele Magalhães.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.