Últimas

Chefe dos Bombeiros revela últimas palavras de Lady Di em acidente

Um dos primeiros a prestar socorro à princesa Diana no acidente que a matou aos 36 anos, em 1997, o ex-chefe dos Bombeiros de Paris, Xavier Goulermon, contou quais foram as palavras ditas por ela durante a tragédia.



Segundo Goulermon contou ao Daily Mail, quando as equipes foram acionadas para o túnel da Ponte l’Alma, não fazia ideia de quem estava no acidente. Ao chegar lá, ele viu que se tratava de um grave acidente devido à quantidade de pessoas ao redor.

Ele também viu que o guarda-costas de Lady Di, Trevor Rees-Jonas, estava muito agitado e preocupado com Diana, que estava presa às ferragens do carro.

A princesa, por sua vez, estava se mexendo e falando.

"Após Dodi Al-Fayed (namorado dela) ser removido, fiquei por conta da passageira. Ela falava em inglês e perguntou 'meu Deus, o que aconteceu?'. Entendi e então tentei acalmá-la. Segurei a mão dela", disse o sargento francês.

Ele ainda afirmou que Diana tinha apenas um ferimento no ombro e nenhum outro machucado aparente, e que sua respiração e pulso estavam bons quando foi levada ao hospital.

Ele só percebeu que se tratava de Lady Di quando ela foi colocada na ambulância rumo ao Hospital da Salpêtrière, onde acabou morrendo.

"Ela me disse quem era e então a reconheci, mas até aquele momento eu não sabia.", completou.

Mãe dos príncipes William e Harry, Diana se divorciou do príncipe Charles em 1992. Ela morreu em 1997 em um acidente de carro em Paris, na França, enquanto era perseguida por paparazzi. O namorado, Fayed, e o motorista Henri Paul, morreram na hora. Diana e o guarda-costas foram levados ao hospital. O único sobrevivente foi o guarda-costas Trevor Rees-Jones.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.