Últimas

Conselho Estadual da Promoção da Igualdade Racial do AM é implementado com 12 OSCs eleitas

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), realizou, na manhã desta sexta-feira (11/06), a eleição das Organizações da Sociedade Civil (OSCs) para a implementação do Conselho Estadual da Promoção da Igualdade Racial do Amazonas (Cepir/AM). O pleito ocorreu no auditório do Núcleo PcD da Sejusc, no bairro Adrianópolis, zona centro-sul de Manaus.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

Ao todo, 12 OSCs foram eleitas para compor o Cepir/AM, que também conta com órgãos públicos. Estavam presentes no local de votação representantes da Sejusc, da Secretaria de Educação e Desporto (Seduc-AM), da Ordem dos Advogados do Brasil – Secção Amazonas (OAB/AM), da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), do Núcleo de Pesquisa Afro-Brasileira e Indígena da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e da Procuradoria-Geral de Justiça do Amazonas (PGJ-AM).

As OSCs eleitas para o quadriênio 2021-2024 foram Comunidade Bet Shalom de Visão Judaica Messiânica, Instituto de Apoio aos Povos Originários da Amazônia (Iapoam), Instituto Ganga Zumba, União de Negros pela Igualdade (Unegro/AM), Instituto Cultural Afro da Amazônia, Tenda de Umbanda Cabocla Braba (Tubaca), Nação Mestiça, Associação Comunitária Quilombola do Sagrado Coração de Jesus do Lago da Serpa, Instituto de Articulação da Juventude da Amazônia (Iaja), Associação Nossa Senhora da Conceição, Associação dos Caboclos e Ribeirinhos da Amazônia (Acra) e Associação de Desenvolvimento Sócio Cultural Toy Badé.

Segundo a secretária Mirtes Salles, titular da Sejusc, o governador Wilson Lima busca expandir as políticas étnico-raciais no estado do Amazonas, assim como o diálogo com os movimentos sociais.

“A efetivação do Conselho é de extrema importância para a ampliação do diálogo e das políticas de igualdade racial. Fico feliz de termos na Sejusc uma gerência voltada ao tema. A política de igualdade racial necessita ser desenvolvida em todos os níveis das esferas governamentais”, disse a gestora.

A presidente da Comissão Eleitoral do Cepir/AM, Jacy Braga Feitoza, destacou que a efetivação do Conselho irá salvaguardar as lutas dos povos, das etnias, das religiosidades, e de todos os segmentos voltados às lutas étnico-raciais.

“É muito importante que se tenha uma instituição pública, que forma um colegiado com representantes públicos e dos movimentos sociais, para realizar as tratativas das demandas que vierem das necessidades das políticas étnico-raciais”, compartilhou Jacy, que participou de todo o processo de criação do Cepir/AM.

O gerente de Promoção da Igualdade Racial e Respeito à Diversidade Religiosa da Sejusc, Manoel Augusto Santos Reis, explicou que, com o Conselho criado, as pessoas poderão fazer suas manifestações e pedidos ao Governo de uma maneira mais efetiva. “As OSCs têm muita força perante o Governo do Estado. O Conselho é uma forma de trabalharmos a igualdade racial. Apesar de termos interesses diversos, também temos o objetivo em comum que é a igualdade racial”, afirmou.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.