Últimas

FUnATI ilumina prédio e promove campanha de conscientização contra a violência aos idosos

“Só toque nos idosos com amor e nunca para produzir dor”. A frase marca a campanha Junho Violeta, promovida pelo Governo do Amazonas, por meio da Fundação Universidade Aberta da Terceira Idade (FUnATI), em alusão ao Dia Mundial de Conscientização da Violência Contra o idoso (15/06). Durante todo este mês, a FUnATI está promovendo uma série de atividades para sensibilizar a sociedade quanto a esse grave problema que é a violência e suas consequências para a vida da pessoa idosa, bem como quanto à importância do respeito que se deve ter com aqueles que envelheceram.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

Com as atividades presenciais previstas para retornarem somente no mês de agosto, a FUnATI utilizou novos meios de divulgar a campanha entre seus alunos. Toda segunda-feira de junho, a instituição realiza “lives” nas redes sociais, e durante a semana, web-palestras com temas relacionados à violência contra o idoso. A programação também inclui encenações dos alunos do grupo de teatro Renascer, com o espetáculo “O Grito”, que enfoca todas as formas de maus-tratos sofridos pelos idosos.

Além das ações internas, a FUnATI fez parte da ação integrada promovida pela Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), juntamente com todos os representantes da rede de proteção ao idoso do Estado, ao participar da carreata para sensibilizar a sociedade sobre a violência crescente aos idosos.

De acordo com o reitor da FUnATI, Euler Ribeiro, em análise de dados recentes divulgados pela Delegacia Especializada em Crimes contra o Idoso (DECCI), percebe-se que durante a pandemia houve um aumento significativo de violência contra os idosos, muitas vezes ocorridas dentro da própria família.

“Além da sensibilização da sociedade, é necessário também empoderar o idoso com informações e conhecimento, para que saiba onde buscar ajuda, e o Governo do Estado dispõe de toda uma rede de proteção a todos que tiveram o privilégio do envelhecimento”, afirma.


“Envelhecer não é bem visto na sociedade, principalmente entre os jovens. Eu completei 61 anos e me sinto bem disposta para realizar planos e sonhos, mas infelizmente sofremos muito preconceito e ainda somos alvos de tentativas de fraude, desrespeito. Precisamos estar atentos para não cair nas armadilhas”, destaca a aluna da FUnATI, Marta Madalena.

Toda a campanha está disponível nas redes sociais da instituição, no Facebook (FUNATIAMAZONAS) e Youtube (Fundação Universidade Aberta da Terceira Idade).

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.