Últimas

PC-AM prende quarteto por associação criminosa e estelionato envolvendo locação de veículos em Manaus

As equipes de investigação do 20° Distrito Integrado de Polícia (DIP), da Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), cumpriram, na manhã desta terça-feira (15/06), por volta das 7h, mandados de prisão temporária em nome de Anderson Duarte Moura, de 36 anos; Marlice da Costa Araújo, 54; Tatiana da Costa Araújo, 36, e Ralph José Gomes bezerra, 65, por associação criminosa e estelionato envolvendo locação de veículos em Manaus.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

De acordo com o delegado Rafael Soares, adjunto do 20° DIP, as equipes policiais iniciaram as diligências após denúncias serem feitas à delegacia, onde os donos de algumas locadoras da cidade informaram que os infratores chegavam nesses estabelecimentos se passando por clientes e, após eles conseguirem realizar o aluguel do veículo, sumiam com os carros e não retornavam mais para devolvê-los.

“Iniciamos as investigações e chegamos as identidades deles, foi solicitada à Justiça pelos mandados de prisão e a ordem judicial foi decretada. Com base nisso, conseguimos realizar as prisões de Anderson e Ralph, que são sobrinho e tio, respectivamente, e de Tatiana, na rua 5 de Fevereiro, bairro Betânia, zona sul”, comentou o delegado.

Ainda conforme a autoridade policial, além deles, também foi presa Marlice, que é mãe de Tatiana, no momento em que ela foi até a unidade policial para prestar esclarecimentos. Ao todo, o esquema de estelionato envolvia cinco pessoas, sendo que o último indivíduo segue foragido.

“Por meio das investigações tomamos conhecimento de quem é a última pessoa envolvida nesse esquema criminoso, mas não podemos repassar mais informações para não atrapalhar o andamento dos trabalhos policiais”, relata Soares.

Procedimentos – Anderson, Tatiana, Ralph e Marlice irão responder por associação criminosa e estelionato. Após os procedimentos cabíveis no 20° DIP, eles serão encaminhados à Central de Recebimento e Triagem (CRT), onde ficarão à disposição da Justiça.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.