Últimas

Prédio no Centro é invadido e está sendo usado como possível ponto de drogas e exploração sexual

Um prédio localizado na rua Quintino Bocaiuva, no centro de Manaus, foi invadido por uma mulher de 47 anos, que foi denunciada mais de uma vez para Polícia Civil, a suspeita estaria disponibilizando o local para facções, venda de entorpecentes, prostituição e exploração sexual de vulneráveis desde o ano de 2017. 


Segundo informações do advogado Robson Carvalho, a verdadeira proprietária do imóvel seria uma idosa de 83 anos, que morava no local com seu esposo onde manteve residência por quase 40 anos. Após o ocorrido de um incêndio no prédio os proprietários precisaram desocupar o local por conta dos estragos causados pelo sinistro.

Ainda segundo informações a proprietária colocou o prédio á venda, após a vistoria do imóvel para fazer a entrega ao comprador, foi constatado que o local estava ocupado por vários Venezuelanos. Em seguida a proprietária entrou com ação de reintegração de pose após os habitantes se recusarem a deixar o local.

Após a liminar determinar a retirada dos Venezuelanos do imóvel, uma mulher informou ser a proprietária do prédio, a suspeita disse que no local não havia nenhum Venezuelano e que ela seria a responsável pela residência.

A reportagem enviou um e-mail para a polícia civil através do e-mail oficial da PC, e estamos aguardando o retorno para mais informações sobre o caso.

Segundo informações do advogado Robson Carvalho, no fundo do prédio existiam cubículos em forma de cortiço para alugar, a suspeita seria uma inquilina que residia em um dos cômodos. Após o avançar da idade os proprietários autorizaram a exploração dos aluguéis em troca da metade da renda. Após o incêndio e desocupação dos proprietários a suspeita continuou morando no fundo da propriedade e passou a utilizar o local para atos irregulares. Após o falecimento de um dos proprietários a mulher tomou posse total da residência.

Medidas sobre o caso

Segundo informações foram registrados (B.O) Boletim de ocorrência contra a suspeita referente ao caso, no 1º Distrito integrado de polícia no ano de 2019.

O filho da real proprietária fez uma denuncia à (PC) Polícia Civil e (PF) Polícia Federal em relação à prostituição, consumo de drogas e tráfico que ocorre no local. As denúncias foram feitas no ano de 2019, porém nenhuma medida foi tomada pelo poder público. Após todo procedimento o rapaz procurou a defesa civil para que fosse feito um laudo dizendo como esta a estrutura do imóvel e o local foi condenado pela defesa civil. Segundo a Defesa Civil o imóvel não comporta habitação.

Ainda segundo informações no mês passado ocorreu uma operação policial no imóvel que ocasionou na prisão da suspeita por favorecimento a prostituição e exploração sexual de vulnerável, afirmando toda a situação de ocupação irregular do imóvel desde o ano de 2017.

História do incêndio

Um incêndio atingiu a casa, no dia 05 de maio de 2017. O imóvel fica na rua Quintino Bocaiuva e as causas do sinistro não foram identificadas. Ao chegar ao local, às equipes constataram que o local era um prédio abandonado e populares informaram que o local estava sendo ocupado por venezuelanos.

Após o combate das chamas, os Bombeiros informaram que a estrutura do prédio estava aparentemente comprometida e a Defesa Civil Municipal foi encaminhada ao local para verificar as condições do imóvel.

Uma equipe da Defesa Civil Municipal esteve presente no local do incêndio e informou que iriam verificar a situação da estrutura do prédio e, possivelmente, isolá-lo após o sinistro.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.