Últimas

Professores fazem protesto por mais vacinas após docente morrer de Covid-19

O Sindicato dos Trabalhadores na Administração Pública e Autarquias no Município de São Paulo (Sindsep) realizou nesta segunda-feira (7) um ato em frente à Câmara Municipal de São Paulo por conta da morte de uma professora da rede municipal por Covid-19. Os manifestantes também reivindicaram a vacinação geral da categoria.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

“O Sindsep lamenta a perda de mais uma professora das redes municipal e estadual de ensino em São Paulo, vítima de Covid-19”, diz o sindicato, em nota divulgada nesta segunda. A Vejinha procurou a prefeitura sobre o caso e não obteve retorno até a publicação da matéria.

Segundo a instituição, a professora Gisneide Tavares, de 43 anos, faleceu na última quarta-feira (2), por conta da Covid-19. Ela não tomou nenhuma dose de vacinas contra a doença e trabalhava presencialmente. A docente ensinava artes nas escolas EMEF Deputado Rogê Ferreira e da EE Prof. Candido Gonçalves Gomide.

Segundo a Secretaria Estadual de Educação, a vacinação dos professores da educação básica de 45 e 46 anos começa nesta quarta-feira (9), em todo o estado.

Na nota, o Sindsep afirma que Gisneide “era alegre, gostava da vida, estava feliz com o casamento com Alessandro Ataide e amava seus alunos". No ato desta segunda, organizado pelo Sindsep, os professores e funcionários da educação ligados à instituição exibiam placas e cartazes pedindo vacina para todos os professores da cidade e a “volta às aulas presenciais com segurança”.

O sindicato ainda informou que alunos e ex-alunos da EMEF Deputado Rogê prestaram homenagens à professora na porta da escola, com flores e cartaz com a palavra “luto” escrita em letras garrafais. “É preciso que o governo garanta vacinação para todos já, testagem em massa, auxílio emergencial decente e condições para o ensino remoto até que a pandemia esteja sob controle", finaliza o Sindsep.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.