Últimas

Adaf e Decon apreendem mais de 400 quilos de alimentos impróprios para o consumo humano

A Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf), em parceria com a Polícia Civil do Amazonas, por meio da Delegacia Especializada em Crimes contra o consumidor (Decon), apreendeu, nesta terça-feira (27/07), 430 quilos de produtos de origem animal, no bairro Japiim, zona sul da capital. A ação foi realizada a partir de uma denúncia.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

O estabelecimento onde o material foi apreendido não possuía o Serviço de Inspeção Estadual (SIE), funcionava de forma clandestina e comercializava queijo, muçarela, mortadela, calabresa e bacon. Além da validade vencida, os produtos eram comercializados com rotulagem não aprovada pela Adaf, e o local não se encontrava em condições higiênico-sanitárias adequadas.

Visando resguardar a saúde pública, as equipes da Adaf e Decon interditaram o local e descartaram os produtos apreendidos em um aterro sanitário. O consumo de alimentos vencidos pode causar infecções alimentares e, em casos mais graves, pode levar à morte. O proprietário deverá comparecer à Decon para procedimentos cabíveis sobre a venda ilegal.

O responsável pela operação, Ruben Coelho, fiscal agropecuário da Adaf, alerta aos consumidores sobre os produtos sem rotulagem. “Os consumidores devem estar em alerta na hora da compra de um produto, verificar se possui o serviço de inspeção, pois é a garantia que o produto está apropriado para o consumo sem riscos de contaminação”.

SIE – A Adaf reforça que todos os estabelecimentos que comercializam produtos de origem animal devem estar adequados ao SIE para o funcionamento legal do local, garantindo a segurança alimentar aos consumidores.

Qualquer pessoa pode denunciar irregularidades referentes a produtos de origem animal pelo AdafOuv, no (92) 99380-9174 (ligação e WhatsApp).

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.