Últimas

Em plena expansão, sistema de gás natural canalizado gera benefícios aos empresários de gastronomia de Manaus

Na manhã de hoje (13/07), o diretor-presidente da Agência Reguladora dos Serviços Públicos Delegados e Contratados do Estado do Amazonas (Arsepam), João Rufino Júnior, deu início a um ciclo de visitas técnicas aos usuários comerciais atendidos pelo gás natural canalizado (GN). E começou pela experiência inovadora de um restaurante que passou a utilizar o produto em equipamentos de climatização.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

No Restaurante Terra & Mar, localizado na Av. Mário Ypiranga, zona sul de Manaus, foi recebido pelo sócio-proprietário Rogério Perdiz, para conhecer o primeiro empreendimento a utilizar o GN em equipamentos de climatização, solução que proporciona, em média, uma economia de cerca de 30% nos custos de energia.

A solução, de baixo impacto ambiental e adequada à climatização de grandes espaços, foi implementada pelo Grupo Dedé por conta da migração dos sistemas de GLP, utilizado nas lojas localizadas nos shoppings de Manaus, para o sistema de gás natural. “Nosso projeto era implementar soluções de baixo impacto ambiental, aliadas à redução de custos operacionais de água e energia elétrica. Conseguimos planejar os investimentos com a ajuda da Cigás, para que essa experiência fosse concretizada com sucesso”, ressaltou Perdiz.

A expansão da rede de distribuição de gás natural no Amazonas é monitorada pela Arsepam, que possui a atribuição de fiscalizar a prestação desse serviço e é também responsável por elaborar normas regulamentares, que assegurem melhorias e garantias aos usuários.

A Arsepam trabalha ainda para disciplinar os procedimentos a serem observados pelas empresas que pretendam explorar os serviços de manutenção das instalações internas, como inspeção de qualidade, construção e montagem de rede de gás enterrada ou aérea, através da Resolução Nº 004/2019/Cercon-Arsepam/Ipem, que estabelece credenciamento prévio junto à agência e ao Instituto de Pesos e Medidas do Amazonas (Ipem-AM), válido por dois anos e sujeito à manutenção das condições de aptidão, durante todo o período de validade.

“Viemos verificar essa experiência inovadora e nos disponibilizar em relação à qualidade dos serviços prestados pela concessionária. Possuímos a maior reserva de gás natural do país, um potencial que deve ser transformado em benefícios como esses”, declarou Rufino, diretor-presidente da reguladora estadual.

Cerca de um milhão e meio de habitantes do Amazonas utilizam energia elétrica produzida por termelétrica a gás natural, incluindo os que moram na capital e nos municípios de Coari, Anamã, Codajás, Anori e Caapiranga. Em Manaus, 22.731 mil usuários são relacionados aos segmentos industrial, residencial, comercial e veicular.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.