Últimas

Padrasto de menino morto em intervenção Policial no Amazonas é liberado

Manaus/AM - Danrley Sullivan, padrasto do menino Gabriel, de 12 anos, morto na noite de terça-feira (27), durante uma intervenção policial, no Distrito de Cacau Pirêra, em Iranduba, foi liberado da delegacia na tarde desta quinta-feira (29). 


Liberado, o padrasto do adolescente deu detalhes de como ocorreu o crime. Ele disse que sem se identificar, os policiais teriam começado a atirar. Ele pediu para as crianças entrarem no barco, mas apenas o enteado mais novo teria conseguido. Após isso, o homem teria entrado no rio, e quando viu, Gabriel havia desaparecido.

O padrasto disse que os policiais o pegaram e pediram para que ele se entregasse, peguntando sobre onde estariam as drogas. Danrley, afirmou que trabalhava vendendo bananas, o que teria irritado os policiais, que o levaram, torturaram e em seguida, o levaram à delegacia.

Darnley disse ainda que foi levada uma arma que supostamente teria sido usada para a troca de tiros com os policiais, porém ele afirma que nunca viu a arma e que o objeto só foi apresentado cerca de 4 horas após ele ter sido detido.

Sobre o caso

Segundo relatado pela tia do menino, Valesca Freitas, ele e o irmão estavam com o padrasto quando policiais invadiram e chegaram atirando na casa. Os três 'caíram' dentro do rio para se proteger foi quando Gabriel teria sido atingido e desaparecido na água.

"Lá por fora já tinha policiais abaixados. Eles estavam 'metendo tiro' por debaixo da casa. Foram os tiros que pegaram no Gabriel. O pequeno conseguiu sair com vida e ele (Gabriel) sumiu", contou. O cachorro da família também foi morto por policiais, segundo ela.

Ainda de acordo com a mulher, o menino foi atingido no peito, pescoço e nas pernas. O corpo foi encontrado na manhã desta quarta-feira (28). Familiares chegaram a filmar as marcas das balas no corpo da criança.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.