Últimas

Prefeitura de Manaus realiza palestra ‘O papel da escola e a doença falciforme’

A Prefeitura de Manaus, por meio das secretarias municipais de Educação (Semed) e Saúde (Semsa), realizou, de modo virtual, nesta quinta-feira, 8/7, a palestra “O papel da Escola e a doença falciforme”.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

O evento on-line fez alusão ao Dia Mundial de Conscientização sobre a Doença Falciforme, comemorado em 19∕6.

A palestra teve como objetivo informar e mostrar como acompanhar os alunos da rede municipal de ensino diagnosticados com a enfermidade, que causa complicações que podem afetar órgãos e sistemas do corpo, com expressiva morbidade, redução da capacidade de trabalho e da expectativa de vida, necessitando de identificação e tratamento.

O gerente pedagógico da Gerência de Atividades Complementares e Programas Especiais (Gacpe) da Semed, Mário Jorge Serrão, comentou sobre as ações da secretaria nesta perspectiva de acompanhamento.

“A prefeitura, por meio da Semed, se preocupa, de um modo geral, com todas as doenças que venham a atingir nossos alunos. A doença falciforme é pouco conhecida entre pais e professores, então temos a preocupação de debater sobre ela, para que nossos professores tenham a capacidade de ajudar os nossos alunos que possuem esse diagnóstico. A partir dessa palestra vamos reforçar essas ações de conscientização nas escolas”, destacou.

A palestrante do evento foi a assistente social e técnica da área de Saúde da População Negra, da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), Georgina Sarkis. Na ocasião, além dos sinais da doença, ela também comentou sobre a parceria entre a Semsa e a Semed.

“O laço de transversalidade da saúde e da educação deve ser mantido, porque as estratégias de educação fortalecem a saúde e vice-versa, sendo que o objetivo do nosso trabalho é que esse conhecimento chegue à população. Os profissionais da educação precisam estar atentos com aquele aluno faltoso, entristecido, pálido e que vai ao banheiro com frequência, porque são sinais da doença”, disse Georgina, que também falou sobre o tratamento.

Segundo ela, a identificação ocorre primeiramente na Fundação Hospitalar de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas (FHemoam), com o teste de pezinho e o exame eletroforese de hemoglobina. “Quando identificada, o tratamento começa em qualquer Unidade Básica de Saúde próxima à casa do paciente”, completou.

Doença

A doença falciforme é uma alteração genética, caracterizada por um tipo de hemoglobina mutante, designada por hemoglobina S, que provoca a distorção dos eritrócitos, fazendo-os tomar a forma de “foice” ou “meia-lua”.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.