Últimas

Seap entrega certificados de três cursos ofertados aos internos do sistema prisional de Manaus

A manhã desta sexta-feira (30/07) foi marcada pela entrega de certificados de três cursos profissionalizantes ofertados pela Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) a 62 reeducandos do sistema prisional da capital. A cerimônia aconteceu no Centro de Detenção Provisória de Manaus 2 (CDPM 2), localizado no ramal do Km 8 da BR-174 (Manaus-Boa Vista).

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

Os certificados são referentes aos cursos de Jardinagem e Paisagismo, Escova e Penteado e Elétrica de Baixa Tensão. Todas as capacitações foram promovidas pela cogestora New Life Gestão Prisional, sendo a última realizada por meio da parceria da Seap com o Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam).

O curso de Jardinagem e Paisagismo, com carga horária de 40 horas, e o de Elétrica de Baixa Tensão, de 160 horas, foram destinados exclusivamente para os internos do programa de ressocialização “Trabalhando a Liberdade”. O primeiro contou com a participação de 15 reeducandos, e o segundo, 11. O curso de Escova e Penteado, por sua vez, foi voltado para 36 internos da população LGBTQIA+ dos CDPMs 1 e 2, desses, cinco internos são “amarelinhos”, e 31 da carceragem.

O secretário executivo adjunto da Seap, coronel André Luiz Barros Gioia, esteve no evento e falou com os formandos. “A Seap prioriza hoje a ressocialização de todos os internos, sejam eles do programa “Trabalhando a Liberdade” ou os comuns. O que nós queremos é que todos possam além de cumprir sua pena sair daqui com uma profissão, devidamente capacitados para exercer qualquer atividade com zelo e competência. Presenciando mais uma certificação de sucesso no sistema vejo que estamos no caminho certo”, comemorou.

O interno Ângelo (nome fictício) é a prova de que a ressocialização é possível. Integrante do “Trabalhando a Liberdade” há dois anos e meio, ele conseguiu remir um ano da sua pena e já aguarda seu alvará de soltura para daqui a poucos meses.

“O programa realmente funciona. No período em que eu fiquei aqui eu fiz quatro cursos e também realizei vários tipos de trabalhos, porque além da gente fazer o curso a gente vai pra prática que é o mais importante. A gente aprende a teórica e a prática. O meu conselho é de que quem for inteligente vista a camisa amarela da Seap e acredite no trabalho que a gestão está fazendo”, disse ele.

Maria Flor (nome social) é outra interna transformada positivamente pela passagem no sistema prisional. “Eu estou me sentindo muito honrada de ter participado do curso de Escova e Penteado. Lá fora eu tenho um salão, mas eu nunca fiz um curso porque eu não tinha condições de pagar. Estou muito feliz por ter aprendido várias técnicas para o cabelo que nunca tive conhecimento”.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.