Últimas

Sema investe em recursos humanos para fortalecer gestão de Unidades de Conservação

A Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema) realizou, nesta quarta-feira (07/07), a integração de novos profissionais contratados por meio do programa Áreas Protegidas da Amazônia (Arpa).

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

Os 14 novos colaboradores vão apoiar atividades estratégicas em Unidades de Conservação (UC) estaduais do Amazonas, durante três meses. Com a seleção, chega a 39 o número de contratados, apenas em junho, para fortalecer a gestão de áreas protegidas.

Supervisionados pela equipe técnica do Departamento de Mudanças Climáticas e Gestão de Unidades de Conservação (Demuc), da Sema, os novos profissionais vão atuar, sobretudo, na elaboração de documentos técnicos para a revisão e elaboração de planos de gestão de UC, além de atuarem no levantamento fundiário, no fortalecimento comunitário, em plano de proteção de áreas protegidas e outras atividades.

“Todas essas ações balizam a formulação de políticas públicas ambientais, sendo necessárias para conseguirmos desenvolver a cadeia produtiva e atrair mais investimentos para as Unidades de Conservação. Em resumo, vamos ter 14 novos técnicos para fortalecer nosso trabalho e melhorar a gestão ambiental de UC”, contou o chefe do Demuc, Rogério Bessa.

A contratação foi intermediada pelo Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio), responsável pela gestão financeira do programa Arpa, que destina recursos para apoiar 24 Unidades de Conservação do Estado, gerenciadas pela Sema Amazonas.

Segundo o secretário de Estado do Meio Ambiente, Eduardo Taveira, os novos profissionais somam-se ao efetivo de 25 técnicos recém-contratados pela Agência Amazonense de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental (Aadesam), para apoiar a manutenção e a consolidação de 15 Unidades de Conservação geridas pelo Estado, por meio do projeto “Consolidando a Implementação de Políticas Socioambientais no Sistema Estadual de Unidades de Conservação do Amazonas”.

“Fazer a gestão ambiental de um território do tamanho do Amazonas é um desafio que requer recursos humanos em quantidade suficiente e qualificados para atender as demandas tão específicas da nossa região. Esses profissionais vão atuar junto a populações tradicionais, na área de pesca, serviços ambientais e outras frentes, no intuito de dar celeridade aos nossos processos, fazendo com que as políticas públicas ambientais possam chegar a todos”, completou Taveira.

Expectativas - Entre os 14 selecionados, a técnica em Meio Ambiente e engenheira de pesca em formação, Bruna Alves, informou que se sente privilegiada em apoiar tecnicamente o maior programa de conservação de florestas tropicais do mundo.

"Minha expectativa é de contribuir, junto à Sema, com a gestão de Unidades de Conservação e com a equipe, fortalecendo o desenvolvimento sustentável no Estado”, disse.

Programa ARPA - Criado pelo Decreto n.º 4.326/2002, o programa Áreas Protegidas da Amazônia (ARPA), de gestão federal, tem como principal objetivo proteger os mais de 50 milhões de hectares da Amazônia brasileira, por meio da expansão e consolidação de unidades de conservação.

Atualmente, o programa apoia 117 unidades de Conservação, entre elas, federais e estaduais. Além de expandir e fortalecer o Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC) na Amazônia, o programa assegura recursos financeiros para a gestão de áreas protegidas e promove o desenvolvimento sustentável da região.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.