Últimas

Após a primeira morte e mais de 30 casos notificados da doença da “urina preta”, FVS intensifica investigação

Amazonas – Neste domingo (29), a Vigilância em Saúde do Amazonas recebeu mais sete notificações de casos de rabdomiólise, totalizando 33 casos da síndrome. A doença de Haff, conhecida como “doença da urina preta” pode estar associada à ingestão de peixes.




Os primeiros 11 casos suspeitos suspeitos, foram notificados à Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas Dra. Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP) na terça-feira (24) de agosto, após atendimentos no Pronto Atendimento (UPA) e encaminhados para Hospital Regional José Mendes, em Itacoatiara (distante 176 quilômetros de Manaus). Na ocasião os pacientes se dividiam entre crianças e adultos. Porém segundo registros da FVS os casos foram atendidos entre os dias 22 e 23 de agosto na unidade de saúde do município.

Os dados atualizados da FVS informaram outro 7 novos casos de rabdomiólise neste domingo (29), totalizando 33 notificações, 29 em Itacoatiara (sendo um óbito), dois em Manaus, um em Caapiranga e um em Autazes. No dia 29, Itacoatiara teve o primeiro óbito, um mulher de 51 anos.

Segundo o diretor-presidente da FVS-RCP, Cristiano Fernandes ainda não há consenso no meio científico sobre a toxina que contamina os pescados.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.