Últimas

Batalhão de Elite da PMAM, Rocam atua contra violência, crime organizado e perturbações da ordem pública

Realizar policiamento ostensivo qualificado com operações em todo o estado, visando combater e reprimir a violência, o crime organizado e, ainda, as graves perturbações de ordem pública são ações planejadas e deflagradas através das Rondas Ostensivas Cândido Mariano (Rocam), da Polícia Militar do Amazonas (PMAM).

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

Ao todo, 240 policiais altamente preparados integram a Rocam, que é um dos batalhões de elite das forças especializadas de segurança do Amazonas, juntamente com o Batalhão de Choque e a Companhia de Operações Especiais (COE).

O comandante da Rocam, major Wener Vieira dos Santos, explica a formação de trabalho dos policiais que integram a unidade.

“São policiais militares distribuídos em três companhias atuando no policiamento especializado em viaturas de duas ou quatro rodas. A Rocam é patrimônio do povo amazonense”, enfatiza.

O grau de importância das operações e o tamanho do prestígio motivado pelo trabalho desempenhado é refletido nas diversas parcerias que a Rocam realiza com órgãos, forças e instituições de âmbito estadual e federal, que atuam nas áreas civis, militares, da justiça, do trânsito e do meio ambiente.

Com o objetivo de fornecer ampla segurança à sociedade e promover um trabalho coordenado, a Rocam, quando necessário, deflagra operações em conjunto com a Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMAM).

Trabalhos em cooperação também já foram realizados com o Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM), Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), Ministério Público do Amazonas (MPAM), Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e Forças Armadas.

Capacitação de alto nível – Para integrar a equipe de mais de 200 policiais que dão vida e voz à corporação, exigem-se variados cursos e estágios de treinamento, capacitação e aperfeiçoamento profissional.

Entre eles estão o Curso de Operações Rocam (COR), Curso de Operações ou Ações de Choque, Estágio Boina Rajada (EOR), Estágio Boinas Vermelhas (EBV) e o Estágio ou Curso de Motopatrulhamento Tático.

“A média de duração dos cursos operacionais voltados a atuar em nossa unidade especializada é de 45 a 60 dias, podendo o curso ser ministrado pela Polícia Militar do Amazonas ou por outras polícias coirmãs do Brasil e do mundo”, destacou Wener.

História – O 2º Batalhão de Policiamento de Choque – Batalhão Rondas Ostensivas Cândido Mariano é o nome oficial da unidade com origem no ano de 1993. Naquele ano, a tropa era composta por militares do então Grupamento de Ações Táticas Especiais (Gate).

No ano de 1997, Manaus assistia ao crescimento dos casos de roubos e de latrocínios aos motoristas de táxi. Para combater a incidência alta dos crimes, é criado dentro do Batalhão de Policiamento Especial (BPE), a Companhia de Rocam, específica e independente das demais unidades do batalhão.

Em julho de 2002, alinhando-se à política nacional de segurança pública, a PM do estado realiza sua nova estruturação organizacional e, desta forma, cria o Comando de Policiamento Especializado. Como resultado, desliga a Rocam da Companhia de Polícia de Choque, causando a nova configuração da unidade que perdura atualmente.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.