Últimas

Sejusc leva ações da rede de proteção à mulher ao município de Tefé

A Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), por meio da Secretaria Executiva de Políticas para Mulheres (SEPM), realiza nesta quarta-feira (11/08) a ação “Mulheres que Transformam – SEPM na Comunidade”, no Centro de Referência de Assistência Social (Cras) Maria de Lourdes Ribeiro Gomes, em Tefé (a 523 quilômetros de Manaus).

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

A iniciativa segue a programação da campanha Agosto Lilás, mês de conscientização pelo fim da violência contra a mulher. Atendimentos psicossociais, orientações jurídicas, roda de conversa, serviço de massoterapia, embelezamento, feira de produtos regionais e artesanato, entre outros, foram oferecidos na ação, que visa sensibilizar a população para o enfrentamento da violência. As atividades em Tefé vão ser realizadas até sábado (14/08), a partir das 8h ao meio-dia.

De acordo com a secretária Mirtes Salles, titular da Sejusc, a ação no município busca alcançar grande parte da população e ressalta os 15 anos da Lei Maria da Penha, período marcado por muitas lutas e vitórias.

“Estamos desde o começo do mês trabalhando pelo fim desse crime. Levamos as ações da campanha para os municípios com o intuito de alcançar grandes números de pessoas, destacando os benefícios que a Lei Maria da Penha oferece para a sociedade. Com a Lei Maria da Penha, muitas conquistas aconteceram durante esses 15 anos, são diversas histórias de luta, mas também são muitos ganhos”, disse a gestora.

A gerente do Projeto Nova Rede Mulher, Karolina Aguiar, ressalta o trabalho da rede de proteção às mulheres.

“A rede de proteção da mulher busca acolher as vítimas em situação de violência e garantir que elas tenham um atendimento humanizado e qualificado. Além disso, levar os mecanismos de denúncias, como o 180, a disponibilidade de toda rede de atendimento da Sejusc, como a casa abrigo principalmente, que acolhe mulheres iminentes de morte”, disse a gerente.

Serviços – A Sejusc conta com uma rede de serviços voltados à mulher, com atendimentos pelo Serviço de Apoio Emergencial à Mulher (Sapem); acolhimento provisório e institucional por meio da Casa Abrigo Antônia Nascimento Priante; acompanhamento psicológico, social e jurídico pelo Centro Estadual de Referência e Apoio à Mulher (Cream); o aplicativo “Alerta Mulher”; e a Unidade Móvel Itinerante, o “Ônibus da Mulher”.

Para mais informações sobre a rede de proteção, basta acessar a cartilha “Mulheres, seus direitos não estão em quarentena!”, disponível no site da Sejusc, no endereço eletrônico sejusc.am.gov.br.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.