Últimas

Amazonas integra ação para testar resistência do Aedes aegypti a inseticidas

Buscando avaliar a resistência do Aedes aegypti aos inseticidas utilizados para o combate às arboviroses (dengue, zika e chikungunya) no Estado, a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas Dra. Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP) realiza, até sexta-feira (24/09), a instalação e coleta de armadilhas para o mosquito. A intenção é atrair as fêmeas do inseto que estejam no ambiente para a armadilha. No equipamento, as fêmeas vão colocar os ovos que serão utilizados para a pesquisa.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

A armadilha consiste em um vaso preto com água parada até cerca da metade do recipiente, contendo solução fraca de levedo de cerveja, formando um ambiente atrativo para as fêmeas do mosquito. Dentro do vaso, há uma palheta de chapa de madeira, onde a fêmea irá depositar os ovos. Os equipamentos serão instalados na casa de moradores que aceitem contribuir com a pesquisa.

A ação ocorre em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Manaus (Semsa/Manaus). Os técnicos das instituições se dividiram por zonas geográficas da capital para realizar a implantação. A iniciativa ocorre por determinação do Ministério da Saúde para monitorar a resistência do mosquito aos inseticidas utilizados em todo o país. No Amazonas, os municípios selecionados para realizar as instalações foram Manaus, São Gabriel da Cachoeira e Tabatinga.

Para a diretora-presidente da FVS-RCP, Tatyana Amorim, a atividade é importante para que não haja desperdício de recursos públicos. “É necessário saber se os mosquitos criaram resistência aos inseticidas utilizados para o combate às arboviroses no Amazonas. Se for o caso, é feita uma substituição do produto, para que não haja desperdício com materiais ineficazes”, destaca Tatyana.

De acordo com a subgerente de Entomologia da FVS-RCP, Érica Chagas, a melhor forma de combate às arboviroses é através do controle vetorial. “O controle vetorial pode ser feito por meio de eliminação de criadouros e ou por inseticidas que são utilizados para eliminar os mosquitos. Por isso é importante testar a resistência dos insetos a esses inseticidas”, aponta a subgerente.

As amostras coletadas serão enviadas para a Fundação Oswaldo Cruz Rio de Janeiro (Fiocruz/RJ), onde será realizada a análise de resistência.

Referência – A FVS-RCP é responsável pela Vigilância em Saúde do Amazonas e atua no monitoramento de doenças no Estado. A instituição funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, na avenida Torquato Tapajós, 4.010, Colônia Santo Antônio, Manaus.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.