Últimas

Arthur Virgílio destaca necessidade de gestão e responsabilidade ambiental sobre a Amazônia

No próximo dia 5 de setembro será comemorado o Dia da Amazônia, mesmo dia em que se comemora a criação da província do Amazonas, por Dom Pedro II, em 1850.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

A data se reveste de extrema importância por se tratar de um alerta para a preservação dos maiores biomas do planeta, hoje sofrendo constante ameaças por queimadas, garimpos, ataques às terras indígenas e às populações tradicionais.

Durante toda a semana, o presidente do PSDB-AM, ex-prefeito e ex-senador, Arthur Virgílio Neto, está utilizando suas redes sociais para avivar esse alerta e o grito tanto pela preservação como por uma economia sustentável para a região. “O Brasil sem a Amazônia não tem futuro”, alertou Virgílio em evento recente, onde foram discutidas as possibilidades de desenvolvimento sustentável para a Amazônia.

“No mundo todo há a preocupação com a Amazônia, mas o Brasil parece não enxergar que precisamos proteger nossas florestas, nossa fauna, nossos rios e nossas pessoas. Precisamos usar, de forma inteligente, os nossos recursos naturais”, adverte Arthur, que tem a defesa da floresta como uma de suas principais propostas para as prévias partidárias que irão escolher o candidato que irá concorrer à presidência da República em 2022. “Precisamos garantir a existência humana no planeta, sem exaurir nossos recursos naturais, evitando impactos por vezes irreversíveis, como estamos vendo agora com as mudanças climáticas”, reforça.

Enquanto gestor municipal, em três mandatos exercidos na Prefeitura de Manaus, Arthur Virgílio Neto compreendeu a preocupação com o meio ambiente e assumiu o compromisso de promover e incentivar programas para garantir a preservação e recuperação ambiental e transformar Manaus, em um futuro próximo, em referência nacional em gestão ambiental.

Passos importantes foram dados com ações fortes na gestão dos recursos sólidos, com todo o sistema de coleta e destinação funcionando com eficiência; na ampliação e criação de espaços públicos verdes, como os parques da Juventude, que recuperaram áreas degradadas e deram uma destinação social e ambiental; com o Arboriza e Ornamenta Manaus, maiores programas de plantio de árvores e mudas ornamentais já ocorridos na cidade, alcançando a marca de quase 300 mil mudas plantadas em todas as zonas; com a limpeza e manutenção de igarapés, que ampliou a resiliência da cidade; ampliação dos corredores ecológicos e áreas de proteção ambiental; entre outras ações específicas.

“O poder público tem o dever de promover uma gestão ambiental que, além de suas próprias ações, busque o envolvimento da sociedade, tanto moradores como empresas. Todos com o objetivo de melhorar as condições de vida das pessoas e a qualidade do meio ambiente”, finaliza Arthur Virgílio Neto.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.