Últimas

Ageman fiscaliza obras do novo poço de água tratada que vai beneficiar 3 mil moradores do conjunto João Paulo

Técnicos da Agência Reguladora dos Serviços Públicos Delegados do Município de Manaus (Ageman) estão acompanhando a finalização das obras de implantação do novo poço tubular de água tratada, o qual deve melhorar o abastecimento na terceira etapa do conjunto João Paulo, no bairro Nova Cidade, na zona Norte.


A iniciativa atende a uma demanda do prefeito David Almeida de promover melhorias nas áreas da cidade abastecidas por sistemas isolados de abastecimento de água.

Conforme vistoria realizada pela Ageman, o problema de desabastecimento no conjunto João Paulo começou com as ligações clandestinas instaladas nas áreas de invasão nas imediações da localidade.

Para conseguir ter água em casa, Fran Andrade, moradora do conjunto há 16 anos, precisa armazenar com ajuda de carro-pipa. “Minha casa é de dois andares e a água é tão fraca, que não tem força para subir para o segundo andar, e tem dias, como hoje, que não tem é nada de água”, afirmou.

A situação levou Fran e os demais moradores da rua Rabino Jacob Azulai a acionarem a Ageman, que cobrou providências da empresa Águas de Manaus, e, como forma de sanar o problema, a concessionária deu início às obras de construção de um novo poço tubular, com previsão para entrar em funcionamento até o final do mês.

A Agência Municipal e a Associação de Moradores estão fiscalizando a execução da obra e os testes de qualidade da água deverão iniciar na próxima semana.

Responsável pelo acompanhamento da obra, a diretora do Departamento de Regulação da Ageman, engenheira Flávia Santos, explicou que o novo poço vai aumentar em aproximadamente dez vezes a capacidade de vazão da água, podendo chegar até 25 litros por segundo. Além do poço, a empresa, com a inspeção da Ageman, também está programando outras ações de melhoria no abastecimento do conjunto João Paulo.

“A concessionária tinha uma previsão de construir um novo poço no local e aguardava a liberação de uma área. No entanto, a empresa conseguiu iniciar os trabalhos em um mesmo terreno onde já existia um poço de baixa vazão, que, com o surgimento das invasões e as ligações clandestinas, não teve mais capacidade de atender a necessidade dos moradores do João Paulo. Com esse novo poço e as medidas de melhoria que serão implantadas, a situação será bem diferente”, assegurou a engenheira.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.