Últimas

Cemitérios são vistoriados pela Prefeitura de Manaus para o controle do Aedes aegypti

Como parte da programação da Prefeitura de Manaus de preparação dos cemitérios para o Dia de Finados, no dia 2/11, uma equipe de agentes de endemias da Prefeitura de Manaus realizou nesta quinta-feira, 28/10, vistoria no cemitério Nossa Senhora Aparecida, no bairro Tarumã, zona Oeste, para a eliminação de focos do mosquito Aedes aegypti, vetor de transmissão da dengue, chikungunya e zika.


Segundo a secretária municipal de Saúde, Shádia Fraxe, o trabalho de intensificação das ações de prevenção iniciou na última terça-feira, 26/10, e vem sendo executado nos cemitérios de Manaus, incluindo Nossa Senhora Aparecida, Santa Helena, São João Batista, São Francisco, Nossa Senhora da Piedade e Santo Alberto.

“Os cemitérios são considerados pontos estratégicos no que se refere às ações de combate ao Aedes aegypti. São locais de maior risco para a proliferação do mosquito por conta de objetos como vasos, suporte para velas, os próprios jazigos ou mesmo alguns tipos de flores, que acumulam água e facilitam a reprodução do Aedes. No período do feriado do Dia de Finados, quando os cemitérios recebem a visita de um grande número de pessoas, é feito um reforço nas ações de controle vetorial”, explicou Shádia Fraxe.

O chefe do Núcleo de Controle da Dengue da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), Alciles Comape, informa que o trabalho envolve o controle vetorial com a aplicação de inseticida de Ultra Baixo Volume (UBV) Pesada, técnica em que o equipamento de pulverização do inseticida é acoplado em um veículo, o que permite atingir um maior número de quarteirões e imóveis em cada território, além da UBV Costal, em que equipamento de pulverização é individual.

“A aplicação do inseticida é direcionada para a eliminação do mosquito adulto, dentro do cemitério e também nas ruas próximas. Os agentes de endemias realizam as ações de controle mecânico com eliminação ou tratamento dos criadouros dentro dos cemitérios, como vasos, pratos de planta ou outros objetos que são esquecidos pelos visitantes”, relatou Alciles Comape.

O supervisor de Endemias Ivan Dias, que coordenou a ação no cemitério de Nossa Senhora Aparecida, destacou que é importante que a população faça uma destinação adequada de todo material que for levado aos cemitérios.

“Como são pontos estratégicos no controle do Aedes aegypti, os agentes de endemias realizam vistorias quinzenais nos cemitérios. Mas é importante que a população colabore e a recomendação é que as pessoas, no momento da visita, tragam uma sacola para colocar produtos como copos descartáveis e outros objetos, descartando depois em uma lixeira”, orientou Ivan Dias.

Dengue

A maior preocupação nos serviços de saúde é com o aumento dos casos de dengue. O município de Manaus registrou este ano 3.688 casos confirmados da doença, sendo que entre janeiro e outubro do ano passado o número foi de 739 casos.

Segundo Alciles Comape, no mês de novembro vai iniciar o período sazonal para as doenças transmitidas pelo Aedes, por causa das chuvas mais intensas, o que resulta em mais criadouros com acúmulo de água, propiciando a reprodução do mosquito e, consequentemente, o aumento no número de casos de pessoas adoecendo com dengue, zika e chikungunya.

“A Semsa mantém o monitoramento regular de pontos estratégicos para o combate ao Aedes, como os cemitérios, borracharias, terrenos abandonados, além de realizar vistorias em domicílios nos locais com notificação das doenças. Mas o papel da população é fundamental, principalmente porque mais de 90% de criadouros são encontrados dentro dos domicílios”, alertou Alciles.

Como o ciclo reprodutivo do Aedes, do ovo até a forma adulta, leva de sete a 10 dias, uma vistoria semanal impede a proliferação do mosquito.

Fotos - Camila Batista / Semsa e Valdo Leão / Semcom

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.