Últimas

Defensoria promove roda de conversa sobre saúde da mulher

A Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM) realizou na tarde desta segunda-feira (13) uma roda de conversa para todos os servidores e servidoras, defensores e defensoras, estagiários e estagiárias, sobre a saúde da mulher, como parte da campanha “Se toque para a Vida”, que tem como objetivo alertar sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama e de colo do útero.


A iniciativa foi promovida em alusão à campanha mundial Outubro Rosa, de conscientização sobre as doenças.

A roda de conversa foi ministrada pela mastologista Hilka Flávia Barra, da Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), com foco na saúde da mulher e o câncer de mama. No evento, também foi abordado o tema para os homens. O evento foi realizado em formato híbrido, presencial no auditório da sede da Defensoria, e transmitido em formato on-line pelo canal da DPE-AM no YouTube.

A médica falou sobre o significado o Outubro Rosa e a importância desse movimento mundial. Por meio de um bate-papo informal, as participantes puderam tirar dúvidas sobre a importância de ter os exames em dia, chances de recuperação e tratamento.

A mastologista também falou sobre o câncer do colo do útero, o tipo que mais mata mulheres no Amazonas, enquanto que o de mama é responsável pela maioria das mortes de mulheres no mundo. E ressaltou o importante papel de instituições como a Defensoria na conscientização para o cuidado com a saúde.

“Acho muito interessante que todas as instituições, municipais, estaduais e federais, tenham esse olhar sobre seus funcionários, mais humano e, além da humanização, de ser um exemplo. Acho isso importante para ser replicado para outras instituições, sejam privadas ou públicas”, disse Hilka Flávia Barra.

O subdefensor público geral, Thiago Nobre Rosas, participou da abertura da roda de conversa e afirmou que “a Defensoria é um órgão aberto e sensível às causas das mulheres”. “Tudo o que estiver ao nosso alcance, faremos em prol das nossas assistidas, servidoras e estagiárias”, destacou.

A coordenadora do Núcleo de Promoção e Defesa dos Direitos da Mulher (Nudem), defensora Caroline Braz, disse considerar muito importante um momento de reflexão sobre um tema tão importante como o câncer, como o proporcionado pela roda de conversa.

“O Estado é o primeiro do Brasil em mortes por câncer do colo do útero e conversas como essa incentivam mulheres a fazer exames, a procurar ajuda. A partir de conversas como essas, podemos salvar muitas vidas”, pontuou Caroline Braz.

Para a psicóloga da Defensoria, Larissa Lins, a importância da roda de conversa é promover a detecção precoce da doença. “Tendo o comportamento de fazer seus exames e de buscar a questão da saúde, tanto a mulher quanto o homem, conseguem detectar precocemente se tem algum indício de alguma doença e quanto mais cedo descobrem, melhor será o tratamento, sendo menos agravado e com mais chances de cura”, explica.

Reflexo no trabalho

A campanha também tem como foco o desgaste que uma doença pode causar no ambiente de trabalho, como explica a assistente social da DPE-AM, Cinthia Araújo.

“Tem relação com o próprio clima organizacional, com a saúde dos servidores para que eles estejam bem, para que venham trabalhar normalmente de forma tranquila e saudável, porque se eles tiverem qualquer problema de saúde, principalmente se forem casos graves, isso também vai se refletir no clima organizacional, na saúde mental desses servidores e irá afetar a própria relação que eles têm com o trabalho. A partir do momento que eles têm qualquer problema de saúde, isso afeta a própria relação que eles têm com as pessoas e com o trabalho dele”, afirma Cinthia.

Sobre a palestrante

Hilka Flávia Barra possui graduação em Medicina pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam), é mestre em Ciências da Saúde pela Ufam (2016) e doutoranda em ginecologia, obstetrícia e mastologia pela Universidade Estadual Paulista (Unesp). Atualmente é coordenadora da disciplina Saúde da Mulher da Faculdade de Medicina da Ufam, supervisora do programa de residência médica da Fcecon, vice-presidente da região norte na Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo) e Preceptora da residência médica da Maternidade Ana Braga.

Fotos: Clóvis Miranda/DPE-AM

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.