Últimas

Durante atividade escolar, alunos da rede estadual debatem sobre as causas e as consequências do bullying

Com o objetivo de debater os prejuízos psicológicos, sociais e pedagógicos ocasionados pelo bullying, a Secretaria de Estado de Educação e Desporto tem realizado, desde o dia 1º de outubro, um compilado de atividades socioemocionais, a fim de trabalhar, junto ao corpo pedagógico das escolas da rede estadual, as práticas de Segurança e Saúde nas unidades de ensino.


A Escola Estadual de Tempo Integral (EETI) Santa Terezinha, localizada na zona centro-sul de Manaus, foi uma das que receberam a ação, voltada ao Dia Nacional de Segurança e Saúde nas Escolas. “Nós entendemos a importância do diálogo e do debate acerca de temas relevantes dentro ambiente escolar. Assim como com o ‘Setembro Amarelo’, a secretaria busca proporcionar atividades que estimulem a prática do respeito entre os nossos alunos”, explica a secretária executiva adjunta da Capital, Arlete Mendonça.

Na rede estadual, cerca de 190 mil estudantes, de todos os níveis de ensino, participam das atividades. Na escola EETI Santa Terezinha, foi através de atividades lúdicas, como pinturas, contação de histórias e entrevistas, que os alunos puderam se posicionar sobre o assunto.

“Com 100% de aproveitamento, durante toda a semana, nós estamos conversando com os nossos estudantes e vemos como é importante que assuntos como esse entrem no nosso cotidiano escolar, visto que algumas práticas do bullying muitas vezes não são reconhecidas pelos alunos. Ou seja, esse debate é sobre prevenção, sobre tratar o próximo com empatia e respeito”, explicou a professora Francisca Chagas.

A aluna Raika Raphaela, de 9 anos, explica o que aprendeu com a atividade. “Essa semana foi muito legal, aprendi muitas coisas. Tenho uma colega que já sofreu bullying e, por isso, digo que essa prática pode machucar muito”, explicou a estudante.

Já Maria Eduarda, do 1º ano do Ensino Fundamental, também contou sobre a semana de conhecimento sobre o assunto. “Nós fizemos muitas atividades, eu aprendi que não podemos julgar uma pessoa pelas suas características, devemos respeitar a diferença de cada um e não praticar o bullyng”, concluiu.

FOTOS: Eduardo Cavalcante/Seduc-AM

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.