Últimas

Em Santo Antônio do Içá, Governo do Estado entrega 17 toneladas de alimentos do Programa Alimenta Brasil

O Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Produção Rural (Sepror), beneficiou 4,5 mil pessoas em situação de vulnerabilidade em Santo Antônio do Içá (a 880 quilômetros de Manaus), ontem (26/10), com a entrega de 17 toneladas de alimentos adquiridos da agricultura familiar pelo Programa Alimenta Brasil (PAB), do Governo Federal. Os produtos foram adquiridos de 10 agricultores familiares/fornecedores do município, com recursos da ordem de aproximadamente R$ 64 mil, com recebimento e distribuição simultânea.


Os produtos adquiridos pelo PAB foram entregues a três entidades socioassistenciais de Santo Antônio do Içá, abrangendo 12.850 quilos de produtos agrícolas (abacaxi, banana-pacovã, banana-prata, pimentão, chicória, coentro, couve, milho verde, mamão, macaxeira, melancia e pimenta-de-cheiro) e 4.150 quilos de pirarucu de manejo.

“Com esta ação damos continuidade a execução da proposta do PAB Amazonas, resultado de parceria com o Governo Federal, por meio da Sepror, apoiando na segurança alimentar de famílias em vulnerabilidade. Realizamos esta aquisição seguida de entrega simultânea, resultado da produção da agricultura familiar e do manejo de lagos em comunidades indígenas do município”, destacou o coordenador do PAB na Sepror, Tânis Castro.

O Centro de Referência de Assistência Social (Cras), a Casa de Apoio Indígena e o Hospital de Santo Antônio do Içá foram as entidades que receberam os produtos para promover a distribuição para famílias cadastradas em situação de vulnerabilidade alimentar.

Alimenta Brasil – O PAB é desenvolvido pelo Ministério da Cidadania e executado no Amazonas pela Sepror. No município de Santo Antônio do Içá, além do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Amazonas (Idam), da Secretaria Executiva de Pesca e Aquicultura (Sepa/Sepror) e do Cras, participa da iniciativa também a Secretaria Municipal de Ação Social, responsável pelo cadastramento das famílias em situação de vulnerabilidade.

FOTOS: Divulgação/Sepror

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.