Últimas

Em três anos, FCecon realizou 12,3 mil consultas e cirurgias para o tratamento do câncer de mama

Somente no primeiro semestre deste ano, foram realizadas 222 cirurgias, 394 consultas de primeira vez e 2.796 consultas de retorno


O Governo do Amazonas, por meio da Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), unidade vinculada à Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM), ofertou 11.352 consultas de primeira vez e retorno e 1.024 cirurgias para o tratamento do câncer de mama, entre os anos de 2019, 2020 e primeiro semestre de 2021. Nesta sexta-feira (1º/10), é iniciado o Movimento Mundial Outubro Rosa 2021, para conscientizar a população sobre a importância do diagnóstico precoce da doença.

Somente no primeiro semestre deste ano, foram realizadas 222 cirurgias, 394 consultas de primeira vez e 2.796 consultas de retorno/seguimento, além de 33 altas oncológicas.

Desde que a atual gestão assumiu a administração da Fundação Cecon, foram conquistados muitos progressos e melhorias para o tratamento do câncer de mama no Amazonas. Dentre as melhorias, estão a redução do tempo de espera para a realização de cirurgias oncológicas nas mamas, que antes era de 90 dias e que, nos últimos três anos, vem sendo de 30 a 40 dias.

“Isso foi possível graças à implantação do Serviço de Navegação da Mastologia, em maio de 2019, e às mudanças no fluxo de atendimento do serviço de Mastologia. Estamos em contínuas melhorias e visando também a ambulatorização, que é realizar a biópsia da mulher sem a necessidade de internação”, disse o mastologista Gerson Mourão, diretor-presidente da FCecon.

Navegação – O Serviço de Navegação da Mastologia oferece atendimento humanizado e agiliza o tratamento do câncer de mama, indicando os casos que necessitam de prioridade em consultas, exames e cirurgias. Todo o processo é acompanhado por uma profissional da saúde, a enfermeira navegadora.

“O papel da Enfermagem de Navegação é estar mais perto dessa paciente, facilitando não só a entrada dela na instituição, mas o caminho que ela tem que percorrer para fazer cirurgia, exames pré-operatórios, para fazer tudo que é necessário para dar seguimento ao tratamento”, explica a mastologista Hilka Espírito Santo, gerente da Mastologia/FCecon.

Acolhimento e discussão de casos – Outra medida da atual gestão da FCecon, juntamente com o serviço de Mastologia, foi implantar duas importantes reuniões.

Uma delas é voltada para o acolhimento de pacientes dias antes da cirurgia. Às sextas-feiras, em reunião com os profissionais da Mastologia, Fisioterapia, Psicologia, Serviço Social e da Navegação, pacientes e seus familiares e acompanhantes recebem as orientações sobre as cirurgias e o tratamento como um todo, sendo realizado ainda um checklist dos exames pré-operatórios.

Em função da pandemia de Covid-19, foi preciso suspender essas reuniões, aguardando-se o restabelecimento total da segurança epidemiológica em relação ao novo coronavírus.

Já as mesas-redondas da Mastologia, também criadas em 2019, já retornaram. No encontro, os médicos especialistas e residentes se reúnem para discutir a melhor conduta cirúrgica para cada caso de câncer de mama. A reunião ocorre toda terça-feira.

Orientação – A Fundação Cecon também lançou, em outubro de 2019, a cartilha com informações sobre a cirurgia de mastectomia, que consiste na retirada total ou parcial da mama. O objetivo é contribuir com a recuperação da paciente após o procedimento.

O material didático, feito pelo serviço de Fisioterapia da instituição, contém ilustrações com exercícios que a própria mulher pode realizar em casa, cuidados pós-cirurgia, dentre outras informações. A cartilha está disponível para download no portal da FCecon (www.fcecon.am.gov.br).

Pandemia – Durante os dois picos da pandemia de Covid-19, o serviço de Mastologia realizou ações para não prejudicar o tratamento das pacientes com câncer de mama.

No primeiro pico, em 2020, um mutirão de cirurgias atendeu sete mulheres. Já entre janeiro e fevereiro de 2021, uma parceria entre Governo do Estado, SES-AM, FCecon, Ministério da Saúde (MS), Instituto Nacional de Câncer (Inca) e Força Aérea Brasileira (FAB) enviou 22 mulheres para realizarem suas cirurgias no Inca III, no Rio de Janeiro.

As pacientes foram divididas em três grupos. Todas as pacientes realizaram cirurgias sem intercorrências e voltaram para a FCecon para dar continuidade ao seu tratamento. “Essa ação possibilitou o tratamento cirúrgico em tempo adequado, representando impacto positivo no tratamento e sobrevida das pacientes, pois naquele momento estávamos impossibilitados de realizar cirurgias na FCecon”, afirma Espírito Santo.

Projetos – Um dos projetos da FCecon para o tratamento do câncer de mama no Estado é a aquisição de um mamógrafo de alta resolução, acoplado com um equipamento capaz de realizar biópsia.

“Com este equipamento, que custa R$ 1,7 milhão e teve emenda federal destinada pelo deputado José Ricardo, é possível fazer a biópsia na mama das pacientes sem que elas se internem na Fundação. Isto é bom para a paciente e economiza gastos com internação”, afirma Gerson Mourão.

A compra do mamógrafo está em análise no Ministério da Saúde.

FOTOS: Laís Pompeu/FCecon e Lucas Silva/Secom

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.