Últimas

Equipes da DERFD e Gaeco deflagram operação Êxodo 20:15 e prendem dupla por furto e extorsão

A Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), por meio da Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (DERFD), em ação conjunta com o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Amazonas (MPAM), deflagrou na manhã desta quarta-feira (20/10), a operação Êxodo 20:15, que resultou nas prisões de Leidiane de Jesus Neves dos Santos, 42, e Márcio Henrique de Paula Soares, 40, em cumprimento a mandados de prisão preventiva por furto e extorsão. As prisões ocorreram nas zonas norte e oeste da capital.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

Durante coletiva de imprensa realizada ainda na manhã de hoje (20/10), no prédio da Delegacia Geral, na avenida Pedro Teixeira, bairro Dom Pedro, zona centro-oeste, a delegada-geral da instituição, Emília Ferraz, agradeceu o apoio da imprensa e da população, que sempre colaboram com as ações da polícia.

“É satisfatório apresentar para população o resultado de mais uma ação exitosa realizada por esta Especializada, e mostrar que a forma de coibir o crime é realizando prisões e tirando de circulação esses indivíduos”, ressaltou a delegada.

Ainda durante a coletiva, o delegado-geral adjunto, Tarson Yuri, parabenizou as equipes policiais pelo trabalho realizado, e, também, agradeceu a colaboração da população, bem como da imprensa.

“Mais uma vez apresentamos excelentes resultados para a população do Amazonas com as prisões dessas duas pessoas envolvidas em furto e extorsão. Vale lembrar que o trabalho da PC-AM não para, e estamos sempre prontos para levar mais segurança a todos”, explicou a autoridade.

Furto e prejuízos – De acordo com o delegado Denis Pinho, titular da DERFD, no dia 23 de junho deste ano, a dupla furtou de uma casa, localizada em um condomínio no bairro Ponta Negra, zona oeste de Manaus, joias, relógios, dólares e euros, que somando resultou em um prejuízo de R$ 1 milhão, além de alguns documentos.

“Durante as investigações, chegamos até Leidiane, que trabalhou por dez anos na residência, ela tinha um relacionamento amoroso com Márcio, e utilizou do conhecimento sobre a rotina dos moradores da casa para praticar o crime com o seu parceiro”, explicou o delegado.

Segundo o delegado, a dupla foi ao condomínio, retirou o cofre e o levou para outro local para ser aberto, após subtraírem os objetos, eles retornaram à residência e o devolveram ao seu local de origem para que o dono não desconfiasse.

“Na época, Leidiane estava responsável por cuidar da casa enquanto o morador do local estava em outro estado, por motivos de saúde. Após esse furto, a dupla passou a ameaçar a vítima, por ligações e mensagens, de números distintos e de outros estados, a fim de conseguir o valor de R$ 100 mil para a devolução dos objetos”, ressaltou Denis.

Investigação – As investigações iniciaram logo após o delito, e culminou na identificação do casal como autor do furto. Diante dos fatos, foi solicitada à Justiça pelo mandado de prisão preventiva em nome deles, além de mandados de busca e apreensão em suas residências. As ordens judiciais foram expedidas no dia 15 de outubro deste ano, pelo juiz André Luiz Nogueira Borges de Campos, da Central de Inquéritos Policiais.

Procedimentos – A dupla irá responder por furto qualificado e extorsão. Eles serão encaminhados à Central de Recebimento e Triagem (CRT), onde ficarão à disposição da Justiça.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.