Últimas

Opera+: pacientes que tiveram cirurgias adiadas pela pandemia comemoram fim da espera

O projeto Opera+, do Governo do Amazonas, já está mudando a vida de quem aguardava por uma cirurgia eletiva (com agendamento), mas teve o procedimento adiado por conta da pandemia de Covid 19.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

Maria Valdenira Frota, 71, comerciante aposentada, chegou a realizar, ainda em 2020, todo o processo pré-operatório para fazer cirurgia de retirada de pedra na vesícula, mas com o recrudescimento da Covid-19 que culminou na segunda onda da pandemia no Estado, o procedimento teve que ser adiado em outubro. Um ano depois, ela foi uma das primeiras da fila a se tornar apta para o procedimento e foi operada nesta quarta-feira (06/10) no Hospital Delphina Aziz.

Ela explica que tinha previsão de fazer a cirurgia em 2019. Mas, por conta de uma complicação pré-cirúrgica, o procedimento ficou para o ano seguinte. A pandemia fez com que a longa espera aumentasse ainda mais.

Lançado, na última terça-feira (5/10), pelo governador Wilson Lima, o Opera+ amplia em 1.295 a oferta de cirurgias eletivas por mês no Hospital Delphina Aziz. A Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM), explica que os pacientes que estão na fila aguardando por um procedimento estão sendo comunicados para comparecer ao hospital e realizar seus procedimentos.

“Eu estava aguardando a qualquer hora. Aí, eu estou em casa, o telefone tocou e minha filha atendeu e falou que era pra mim vim aqui, então deu tudo certo. Quando eu cheguei aqui me alegrei muito, porque quando a gente vê um ambiente bonito, as moças atendendo a gente bem, nós já nos sentimos seguros”, agradeceu a aposentada que deve receber alta essa semana.

A autônoma Maria José Pinto, 54, também estava aliviada pela realização da cirurgia de retirada de pedra na vesícula. Com dois filhos e três netos ela disse que espera aproveitar ainda mais a família, agora que está livre das dores e das limitações da doença.

“Após a retirada (das pedras na vesícula), espero comer tudo o que eu não podia comer antes, tudo o que eu não podia fazer vou fazer também. É um momento que a gente aguarda e parece que nunca vai chegar. Quando temos as crises sofremos muito, mas, graças a Deus, agora estou bem”, comentou.

Daniele de Araújo, 32, mais uma paciente a retirar pedra na vesícula, contou que todo o processo de triagem até a cirurgia foi muito rápido. “Vim para cá e no outro dia já operei. O atendimento foi muito bom”, disse.

Além de cirurgias na vesícula, o Hospital Delphina Aziz voltou a realizar cirurgias de hérnia, no aparelho digestivo, ginecológicas, urológicas, proctológicas, oftalmológicas, vasculares e dermatológicas.

Antes mesmo de iniciar o Opera+, desde o mês de setembro, o HPS Delphina Aziz já vêm sendo retaguarda dos três grandes prontos-socorros de Manaus (João Lucio, 28 de Agosto e Platão Araújo), realizando cirurgias gerais de emergência, com o objetivo de desafogar e reduzir a lotação dessas unidades.

A pandemia de Covid-19 levou o sistema de saúde no Brasil inteiro a suspender procedimentos ambulatoriais, como as consultas e exames, e também as cirurgias eletivas – não urgentes –, seguindo protocolos e recomendações do Ministério da Saúde (MS). Em outubro de 2020, com o recrudescimento da pandemia, o hospital Delphina Aziz, referência para a Covid-19 do Estado, já havia sido aberto para a rede de saúde quando a SES-AM teve que recuar no plano e novamente suspender os atendimentos não Covid-19.

Com a ampliação da oferta de cirurgias, o governo quer garantir que aqueles pacientes que tiveram seus procedimentos suspensos e adiados pela pandemia de Covid-19 possam realizá-los o mais breve possível, incluindo aqueles que estavam agendados para o Delphina Aziz em outubro de 2020, mas tiveram suas cirurgias suspensas, quando houve a recrudescimento da Covid-19.

Consulta + e Examina + – No último dia 27 de setembro, também no hospital Delphina Aziz, foram lançados os projetos Consulta + e Examina +, por meio dos quais a SES-AM começou a ofertar na unidade, por mês, 84,4 mil exames e terapias especializadas e 10,6 consultas para pacientes da rede pública de saúde. Os projetos integram o programa Saúde Amazonas.

“O Governo do Amazonas lançou três programas fantásticos. Tivemos duas alças epidêmicas de Covid-19, muitas cirurgias já reguladas, muitas cirurgias que já estavam sendo aguardadas não puderam ser realizadas devido a pandemia”, destacou o secretário de Estado de Saúde, Dr. Anoar Samad.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.