Últimas

Prefeitura organiza intensificação no combate à sífilis em Manaus

Em referência ao Dia Nacional de Combate à Sífilis e à Sífilis Congênita, 16/10, a Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), iniciou a intensificação das ações de combate à doença nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs).


A sífilis é causada pela bactéria treponema palidum e pode ser transmitida por meio da relação sexual (adquirida ou em gestantes) ou da transmissão vertical, da mãe para o feto (congênita). No primeiro semestre de 2021, houve no município de Manaus a notificação de 1.072 casos de sífilis adquirida, 832 de sífilis em gestante e 121 casos de sífilis congênita.

Segundo a chefe do Núcleo de Controle das Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST/Aids) e Hepatites Virais da Semsa, enfermeira Rita de Cássia Castro de Jesus, as Unidades de Saúde estão promovendo ações de combate à sífilis de forma conjunta com as ações do “Outubro Rosa”, campanha de combate ao câncer de mama e ao câncer do colo do útero.

“A sífilis é uma infecção sexualmente transmissível e com isso as ações de controle incluem a oferta de preservativos, ações de Educação em Saúde para orientar a população sobre as formas de transmissão, sinais e sintomas da infecção e a importância da realização de exames para o diagnóstico precoce”, explica Rita de Cássia.

Como as ações do “Outubro Rosa” são direcionadas para a saúde da mulher, um dos focos no combate à sífilis é a investigação no atendimento de todas as gestantes e suas parcerias sexuais para a identificação de casos de IST, com orientações sobre diagnóstico e tratamento para evitar a transmissão da sífilis para o bebê durante a gestação e parto.

“Esse trabalho é realizado durante todo o ano, mas este mês as ações são intensificadas para chamar a atenção da sociedade sobre a sífilis como um sério problema de saúde pública, e que em 2016 foi considerada pelo Ministério da Saúde como epidemia no país”, destaca Rita de Cássia.

O protocolo de atendimento no caso de gestantes na UBS recomenda a realização do teste rápido para sífilis durante a primeira consulta do pré-natal, o que deve ocorrer preferencialmente no 1º trimestre, um segundo teste no 3º trimestre da gestação e outro no momento do parto (independente do resultado de exames anteriores) ou em casos de aborto.

“A Semsa mantém a oferta do teste rápido em 133 Unidades de Saúde. É um teste de fácil execução, com liberação do resultado em no máximo 30 minutos. Além da investigação de casos em gestantes, também é recomendado que pessoas sexualmente ativas façam o teste para sífilis regularmente, o que vai permitir o diagnóstico precoce e o início do tratamento, visando a quebra da cadeia de transmissão”, afirma Rita de Cássia.

A lista das Unidades de Saúde que realizam teste rápido pode ser acessada no site da Semsa (https://semsa.manaus.am.gov.br/teste-rapido-ists/).

Foto – Marinho Ramos / Arquivo Semcom

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.