Últimas

Primeiro Festival de Circo do Amazonas encerra com mais de 100 artistas beneficiados

Cerca de 300 pessoas compareceram ao Teatro Amazonas, na noite de quinta-feira (7/10), para prestigiar o encerramento do primeiro Festival de Circo do Amazonas. O evento contou com show de mágico, ventríloquo e espetáculo da Cacompanhia de Artes Cênicas, além do anúncio da próxima edição do festival, em março de 2022.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

Foram mais de 100 artistas das mais variadas linguagens circenses beneficiados pela programação, que contou com espetáculos, oficinas e se dividiu entre circos pela cidade (Circo Marcos Frota, Amazon Master Circus e Ramito Circo), o Largo de São Sebastião, o Teatro Amazonas, além de apresentações em escolas municipais e estaduais.

Desde a recepção na entrada do Teatro Amazonas, com os palhaços Tapioca e Letreka, o público prestigiou uma programação completa de circo, com o mágico Davis e o ventríloquo Odiney e o boneco Luizinho, e o espetáculo principal “O Palhaço de La Mancha”, da Cacompanhia.

“O espetáculo ‘O Palhaço de La Mancha’ foi o primeiro espetáculo que a gente viajou para apresentar em um festival de circo na região Norte, então é um trabalho muito importante porque deu um pontapé nessa nossa pesquisa de circo tradicional e contemporâneo. Foi uma honra encerrar este festival que nós esperamos ser o primeiro de muitos na programação cultural do Amazonas”, disse Jean Palladino, integrante da companhia.

Homenagem - Ainda antes da apresentação da Cacompanhia, o presidente da Associação de Artistas Circenses, Anilton Santos, fez uma homenagem a artistas que morreram antes e durante a pandemia de Covid-19, como Selma Bustamante (1955-2019), Ney Jorge Tabara - Palhaço Tio Peteka (1967 - 2021), Wilson Costa - Palhaço Zé de Cima (1948 - 2021) e Gildardo Charry - Palhaço Pascoalito (1958 - 2021).

“Foram grandes artistas que deixaram um legado enorme e que eram amantes do circo no Amazonas”, declarou Anilton, que também disse que o festival era um sonho da categoria. “Quero agradecer de coração a todos os artistas que se empenharam em fazer o melhor e deram tudo de si para o público, agradecer aos proprietário dos circos, e ao Governo do Amazonas e ao secretário de Cultura, por terem idealizado esse festival que era o sonho de todos os artistas circenses e que o nosso estado ainda não tinha".

Próxima edição - O secretário de Cultura e Economia Criativa, Marcos Apolo Muniz, afirmou que o festival obteve um resultado acima do esperado. “Exemplos como o do artista Odiney que se apresenta desde 2003 e nunca havia pisado no palco do Teatro Amazonas mostrou a relevância desse festival para os artistas circenses. Também pudemos contar com a presença do ator Marcos Frota, que foi um dos destaques da nossa programação coincidindo com a partida do circo dele. Quero agradecer a parceria com a Secretaria de Educação, que liberou alunos para prestigiar o espetáculo, e isso tudo só é possível devido ao compromisso do Governo do Amazonas, e do governador Wilson Lima com a categoria artística”.

O secretário também anunciou a segunda edição do Festival de Circo do Amazonas para março de 2022. “O público não terá que esperar muito. Em breve, voltaremos a este palco, para debaixo das lonas, aos bairros, escolas e interior, levar a magia e a alegria que só o circo nos proporciona”, declarou Marcos Apolo Muniz.

Festival de Teatro - O encerramento do Festival de Circo do Amazonas dá início a 15ª edição do Festival de Teatro da Amazônia que, nesta sexta-feira (08/10), terá a abertura oficial, às 20h, no palco do Teatro Amazonas. Neste ano, o evento conta com 20 espetáculos, entre apresentações presenciais em Manaus e Iranduba e atividades formativas on-line até 16 de outubro, com acesso gratuito.

“A história do circo e do teatro se entrelaçam e estamos felizes de poder proporcionar mais uma programação para o público no Teatro Amazonas”, declarou o secretário Marcos Apolo Muniz.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.