Últimas

Sepror participa de Oficina Sobre a Pesca Sustentável da Piracatinga

A Secretaria de Estado de Produção Rural (Sepror) participou, entre quarta-feira (13/10) e sexta-feira (15/10), de oficina para tratativas do plano de regulamentação, com foco na pesca da piracatinga de maneira sustentável, juntamente com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), na sede do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Amazonas (Sebrae/AM).


A iniciativa do Grupo de Trabalho Nacional (GTN) do Mapa, vem trazendo a discussão da piracatinga para o âmbito local, para entender melhor o crescimento dessa cadeia produtiva. " Essa iniciativa do Governo Federal é muito válida, pois estamos no processo de retomada da pesca sustentável da piracatinga e o Estado do Amazonas é onde encontramos a maior capacidade de produção e o maior interessado nessa cadeia, por isso, nada melhor que trazer essa discussão em âmbito local", disse Vinícius Lopes, representante do Mapa.

Um dos desafios da pesca sustentável é acabar com o uso indevido de iscas como jacaré e boto, onde estes são usados para capturar a piracatinga, modificando a fauna e alterando o ciclo de cadeia alimentar das espécies.

"A expectativa é para que daqui há alguns meses se inicie de forma legalizada o pescado sustentável, onde iremos acabar com essa história de usar jacarés e botos. Somente pescadores dentro da legalidade serão permitidos", declarou o diretor executivo da Federação dos Pescadores do Estado do Amazonas (Fepesca), Lino Santos.

A comissão formada pelo GTN é uma iniciativa do Mapa, baseado em estudos de projetos e pesquisas reiteradas em reuniões dentro do Sistema Sepror, sobre a retomada da pesca da piracatinga.

"O trabalho da Sepror é estratégico, pois a base de tudo o que está sendo trabalhando aqui hoje, é algo que já vem sendo trabalhado anteriormente, se baseia em um escopo já produzido pela Conepa, conduzido pela Sepror", explicou o engenheiro de Pesca da Sepror, João Bosco.

Participaram do evento a Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema), Ibama, Instituto Chico Mendes (ICMBIO), Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Amazonas (Idam), Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá.

FOTO: Reyzon Almeida/Sepror

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.