Últimas

Vídeo mostra homem negro sendo agredido por seguranças na frente do próprio filho

Brasil – Um homem negro de 21 anos foi imobilizado com uso extremo de força por seguranças dentro do metrô de São Paulo. Em um vídeo filmado por uma testemunha, que suplica para que os funcionários do transporte público parem, eles aparecem aplicando um mata-leão, enquanto o passageiro pede para ser solto e uma criança chora em um carrinho de bebê.





Durante a ação, que aconteceu na noite de ontem na estação Anhangabaú (Linha 3 – Vermelha), a criança, que é tratada como filho do rapaz pela testemunha, aparece chorando em um carrinho. Flávia Alves, que fez o registro, pede que o passageiro não resista à abordagem, mas, mesmo depois que o homem já está imobilizado, um dos seguranças ainda mantém o braço enrolado em seu pescoço por alguns segundos.

“Gente, não mata ele. Moço, para, por favor, o filho dele aqui. Moço, não resiste”, pede a testemunha que filma o ocorrido, enquanto vigia o carrinho do bebê.

Em nota, o Metrô de São Paulo confirmou a ocorrência da agressão e declarou que irá afastar os funcionários envolvidos “para apuração dos fatos”, mas afirmou que o homem deu mordidas e cusparadas nos seguranças.

A abordagem ao passageiro teria acontecido durante o “combate ao comércio ilegal nos trens”, de acordo com a companhia. O homem teria tentado impedir uma abordagem dos seguranças a uma outra pessoa, um ambulante.

“Neste caso específico, o infrator causou um tumulto ao tentar impedir uma ação de fiscalização contra o comércio irregular na estação Anhangabaú. Após agredir os funcionários com mordidas e cusparadas, fato confirmado pelo mesmo no DP, precisou ser imobilizado para a segurança de todos e encaminhado à Delegacia do Metropolitano, onde foi registrado boletim de ocorrência”, concluiu o comunicado.

Flávia Alves, que filmou a cena, fez um relato em seu perfil no Instagram, detalhando que o rapaz agredido interveio ao presenciar uma “abordagem agressiva” dos seguranças a um ambulante, iniciando uma discussão inicialmente verbal.

“O policial que deu o mata-leão resolveu agredir ele verbalmente por causa da máscara que estava usando. Durante a discussão ele já estava reclamando do carrinho do filho dele ter sido empurrado, e o fato do bebê cair de cara no chão. Ele estava indo em direção a escada para ir embora mas, com diversos empurrões, ele quase rolou escada abaixo com o bebê. Foi quando ele reagiu e cuspiu”, afirmou ela.

A testemunha ainda detalhou que outro homem que também gravava a abordagem foi agredido e levado para fora do metrô e que ela também teve que parar a filmagem após ser “destratada e intimidada”.

“Sim, ele tentou morder o policial para impedir que o carrinho do filho caísse novamente, isso só não aconteceu porque eu segurei. A criança entrou em desespero! Eu fiquei lá, conversei, dei mamadeira até a mãe da criança ou algum familiar chegar, infelizmente chamaram reforços e 10 contra 1 não me parece justo”, completou Flávia.

A SSP-SP (Secretaria de Segurança Pública) ofereceu a mesma versão do Metrô de São Paulo em nota, afirmando que, na delegacia, “as partes foram orientadas quanto ao prazo de representação criminal para prosseguimento das investigações”, sem dar mais detalhes sobre como o caso foi tratado na unidade policial. 


VEJA VÍDEO: 



*Com informações Uol


Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.