Últimas

Adaf promove atualização cadastral de animais em 13 municípios no mês de novembro

O Governo do Amazonas, por meio da Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado (Adaf) realiza, de 1º a 30 de novembro, a segunda etapa da atualização cadastral de animais nos 13 municípios amazonenses que integram o Bloco I do Programa Nacional de Vigilância para Febre Aftosa (Pnefa). Os produtores destas cidades deverão procurar uma Unidade Local de Sanidade Animal e Vegetal (Ulsav) para atualizar a situação de todos os animais existentes na propriedade.


A atualização cadastral de bois, búfalos, cavalos, jumentos, mulas, suínos, cabras, ovelhas, galinhas, perus, patos, aves ornamentais, peixes e abelhas é uma das estratégias adotadas para manter o status sanitário de área livre de febre aftosa sem vacinação, concedido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) aos municípios de Apuí, Boca do Acre, Canutama, Envira, Eirunepé, Guajará, Humaitá, Ipixuna, Itamarati, Lábrea, Manicoré, Novo Aripuanã, Pauini e parte de Tapauá que faz divisa com Humaitá, onde as campanhas de vacinação foram substituídas pela atualização cadastral dos rebanhos.

Além do atendimento presencial, uma ficha de notificação de atualização também está à disposição dos produtores, no site da Adaf (adaf.am.gov.br). Para efetuar a notificação, basta preencher o formulário e encaminhá-lo, por e-mail ou Whatsapp para a Ulsav do respectivo município onde a propriedade está registrada.

A coordenadora do Programa Nacional de Vigilância para Febre Aftosa (Pnefa) no Amazonas, Joelma Silva, explica que a atualização cadastral proporciona à Adaf manter as informações dos animais em dia.

“Esses dados facilitam a fiscalização, o enfrentamento de doenças e o acesso a uma estimativa do rebanho existente no estado. Por isso, os produtores rurais pertencentes aos municípios com status livre sem vacinação para febre aftosa devem procurar uma Unidade Local de Sanidade Animal e Vegetal para atualizar todos os animais da propriedade”, enfatizou.

Procedimento obrigatório, a atualização, caso descumprida, é passível de multa no valor de R$ 20 por animal de médio porte (ovinos, caprinos e suínos) não cadastrado, e de R$ 40 por animal de grande porte (bovídeos e equídeos).

Primeira etapa – De 1º a 31 de maio deste ano, a Adaf já havia realizado a primeira etapa da campanha semestral de atualização cadastral animal nos mesmos municípios.

ARTE: Divulgação/Adaf

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.