Últimas

Com a ajuda da tecnologia, famílias estão sendo convocadas a comparecer aos postos de entrega do Auxílio Estadual

“Que benção”. Essa foi a reação de Ocimar Santarém de Souza, de 65 anos, ao receber uma ligação telefônica dos servidores do Centro Estadual de Convivência da Família (CECF) Teonízia Lobo, no bairro Mutirão, na zona norte, informando que havia um cartão para ele do programa Auxílio Estadual. O idoso duvidou, só teve certeza absoluta ao se dirigir ao posto de triagem do centro para conferência de documentos, assinatura da cautela e registro no aplicativo Sasi, até ter em mãos o cartão que lhe permitirá receber o benefício mensal.



Ocimar é um dos mais de 8 mil contemplados com o cartão no posto de distribuição Teonízia Lobo, onde está prevista a entrega de 12.436 cartões. Para agilizar o atendimento, os servidores do CECF estão se valendo do serviço de call center, criado pelo Governo do Amazonas, para contatar as pessoas que não acessaram o site do Auxílio Estadual e que, por essa razão, não tinham conhecimento que estavam sendo contempladas para receber o benefício.

Surpresa – Desempregado, vivendo de favor na casa de um amigo no conjunto Viver Melhor, zona norte de Manaus, Ocimar Souza precisa de ajuda financeira para se alimentar e comprar remédios.

“Foi uma surpresa imensa saber que tinha esse cartão destinado a mim. Ele representa uma ajuda sem tamanho neste momento, principalmente para comprar meus alimentos, pois faço tratamento de diabetes e não posso me alimentar de qualquer coisa”, disse.

Nervosa – Outra que contou com a ajuda da tecnologia foi Orlene Rodrigues Medeiros, 33.

“Esse cartão representa um reforço para minha família, porque vai somar com o que recebo do Bolsa Família, e logo será de boa ajuda na alimentação dos meus filhos, já que estou desempregada e o meu marido trabalha com aplicativo, mas nem sempre consegue suprir nossas necessidades básicas”, declarou ela, mãe de dois filhos, de 9 e 6 anos.

Call center – O diretor do Teonízia Lobo, Hefrânio Maia, disse que diariamente é feito o levantamento das pessoas que não compareceram ao local de entrega. Em seguida, é feito o contato telefônico informando que a pessoa foi contemplada e que deve comparecer no local portando documento original de identificação com foto e CPF.

O dirigente informa que as pessoas que estão impossibilitadas de comparecer aos postos de distribuição do cartão estão recebendo o benefício em casa, no hospital ou em outros locais.

“A iniciativa foi adotada após as equipes perceberem a necessidade de atender beneficiários recém-operados, pessoas com deficiência (PcD), pessoas com comorbidades, idosos e outros grupos que, por algum motivo, não conseguiram comparecer aos nove postos espalhados pela capital”, sintetizou.

A distribuição dos cartões do maior programa estadual de transferência de renda do país, criado pelo governador Wilson Lima para garantir a segurança alimentar das famílias amazonenses, é coordenada pela Secretaria de Estado da Assistência Social (Seas) pelo Fundo de Promoção Social e Erradicação da Pobreza (FPS).

FOTOS: Kerolyn Leigue/Seas

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.