Últimas

Em visita guiada ao Teatro Amazonas, servidores da rede pública de ensino podem conhecer história do ciclo áureo

Servidores da Secretaria de Educação podem realizar, até o dia 30 de novembro, a visita guiada ao Teatro Amazonas, localizado no centro da capital. Como parte da programação do 1º Festival Cultural da Educação, o público pode conhecer as curiosidades acerca de um período histórico da economia brasileira, assim como os costumes dos barões do ciclo áureo.


Os interessados podem se inscrever para a visita guiada nos dois próximos sábados, dias 20 e 27 de novembro. O 1º Festival Cultural da Educação, lançado pelo governador Wilson Lima, no dia 5 de novembro, é realizado pela Secretaria de Estado de Educação e Desporto, com apoio da Secretaria de Estado Cultura e Economia Criativa e da Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur).

A iniciativa busca valorizar os docentes da rede estadual de ensino e o cenário cultural do Amazonas. Com o projeto, são ofertados ingressos para espetáculos teatrais e de música, visitação a museus e passeios turísticos, dentre outras atividades culturais.

Teatro Amazonas - Inaugurado em 1896, no governo de Eduardo Ribeiro, o Teatro Amazonas é um dos mais belos prédios do Amazonas, construído no ápice da grande movimentação artística no final do século XIX. Durante a visita guiada de 30 minutos, o público tem a oportunidade de conhecer o Salão Nobre do Teatro Amazonas, o Salão de Espetáculos e o Salão Verde, intitulado “Sala de Exposição de Música e Dança”, que conta com sapatilhas de grandes nomes do ballet que se apresentaram na Casa, como Marcelo Mourão Gomes, Ana Botafogo, Mikhail Baryshnikov, Ana Laguna e Margot Fonteyn; três instrumentos musicais da casa, como contrabaixo, violino e tímpano e dois bustos em bronze, de Antônio Carlos Gomes e Heitor Villa-Lobos.

Atualmente, o Teatro Amazonas tem capacidade para 701 pessoas. Além do espaço central, existem mais três pavimentos laterais destinados ao público.

O acervo do espaço tem duas partituras de arranjos compostos pelo maestro Otávio Simões, um rascunho de um arranjo do Hino de Manaus para a Orquestra Amazonas Filarmônica e um arranjo da música “Dó Ré Mi”, do musical “A Noviça Rebelde”, apresentado no espetáculo “Playbill”, com a Orquestra Experimental e Solistas, em julho de 2019.

O visitante ainda confere uma maquete do Teatro Amazonas feita com blocos de Lego, uma escultura de bronze do artista francês Adrien Étienne Gaudez, além da Saleta de Exposição da Cúpula com itens, como vidros coloridos, telhas esmaltadas e vitrificadas e projetos arquitetônicos do Teatro e sua cúpula.

Camarim de época – Para proporcionar ao público a experiência da atmosfera de um camarim do Teatro Amazonas durante a Belle Époque, foi criado um espaço cuja ambientação e composição foi realizada com a utilização de peças de mobiliário do espaço e objetos adquiridos em antiquários pelo Brasil.

Entre as porcelanas em exibição, uma escarradeira é referência ao fato de que foram intensamente utilizadas no século 19, sendo considerado de “bom-tom” o hábito de se expelir secreções em público. Utilizadas nos espaços sociais, eram deixadas à disposição das visitas, no chão, em geral aos pares, ladeando os sofás. O exemplar do camarim é de procedência alemã, da histórica fábrica de porcelanas Villeroy & Boch.

Protocolos - O Teatro Amazonas adota todos os protocolos de prevenção contra a Covid-19. As visitas acontecem com grupos de dez pessoas por horário. No local, é exigido o uso de máscara, medição da temperatura e distanciamento de 1,5 metro. É proibido o contato físico com elementos dos espaços, como colunas, paredes, vitrines expositoras, esculturas, pinturas, demarcadores, portas e maçanetas.

O equipamento cultural passou pelo processo de sanitização e tem totens de álcool em gel em pontos estratégicos. As equipes são treinadas para o cumprimento dos protocolos de segurança e evitar qualquer tipo de aglomeração.

FOTO: Divulgação

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.