Últimas

Manaus conta com programação cultural neste fim de semana; veja

MANAUS (AM)- A programação do fim de semana em Manaus possui atividades diversas nos espaços culturais.

Nesta sexta-feira (5), a partir das 10h, acontece a abertura da segunda edição do Amyipaguana – Encontro de Cultura Popular do Amazonas, no Centro Cultural dos Povos da Amazônia (CCPA), na avenida Silves, 1.222, Distrito Industrial, com performances de capoeira e apresentações do cantor Armando de Paula e do grupo Malungo Dudu.

O evento segue até 26 de novembro, com atividades presenciais, no Quilombo Urbano do Barranco de São Benedito, na (rua Japurá, Praça 14 e on-line pelo YouTube e redes sociais do @culturadoam.

No Palacete Provincial, na Praça Heliodoro Balbi, no Centro, o público pode conferir, das 9h às 17h, a “Mostra Casa Museu Wagner Melo”, no Museu de Imagem e Som do Amazonas (Misam).

Até sábado (6), mais de 1.900 objetos, exibição de vídeos e leituras dramatizadas sobre 71 anos da vida do artista amazonense estão disponíveis no espaço.

O acesso aos equipamentos é gratuito, com agendamento pelo Portal da Cultura (cultura.am.gov.br). É obrigatório o uso de máscara e a apresentação do comprovante de vacinação na entrada.

Teatro Amazonas

No sábado (6), às 20h, o Grupo Gaponga – formado por Sofia Amoedo, Celdo Braga, João Paulo e Defson Braga (Shakal), com apoio do músico Neil Armstrong Junior – leva para o palco do Teatro, o show “Terreiro Musical”, com participações de talentos dos municípios de Silves e Manaquiri, integrantes dos cursos de bioinstrumentos amazônicos ministrados pelo grupo.

A apresentação reúne poesia, música, dança entre outras manifestações artísticas para evidenciar os valores culturais do Amazonas, com classificação livre. Os ingressos estão à venda a R$ 60, na bilheteria do Teatro e em bilheteriadigital.com.

No domingo (7), às 19h, tem a décima edição do “Encontro de Tenores do Brasil”, evento criado pelo tenor Miquéias William, que reúne mais de 20 artistas no palco do Teatro Amazonas.

Além do anfitrião, o espetáculo tem participação dos cantores Marcello Vannutti (SP), Wilkem Silveira (PA), Roney Calazans (DF) e Lucas Melo (PE); da soprano Dhijana Nobre (AM); de Davi Lucas, ex-participante do “The Voice Kids”; além do Coral do Amazonas e da Amazonas Filarmônica.

A classificação indicativa é livre, e os ingressos estão à venda a R$ 150 (plateia e frisas), R$ 120 (1º pavimento) e R$ 80 (2º e 3º pavimentos), na bilheteria do Teatro e bilheteriadigital.com.

Exposições

Na Casa das Artes, no Largo de São Sebastião, estão em cartaz quatro mostras. Na sala 1, a exposição “Versos 125 Anos – Corpos Artísticos no Teatro Amazonas” traz registros feitos por Michael Dantas, fotógrafo oficial da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, sobre os sete grupos do Estado e as apresentações no patrimônio histórico. A mostra ainda conta com textos que explicam a criação de cada grupo.

Na sala 2, “Videopoesias nas ruas”, produção de Rafael César com Ana Paula Lustosa, Cris Silva, Isabella Lillo, Felipe Fernandes e Cesar Nogueira, apresenta vídeos inspirados em poesias. O projeto foi contemplado no Prêmio Feliciano Lana, como ação da Lei Aldir Blanc no Estado.

O grafiteiro Tial expõe, na sala 3, 23 desenhos e grafites sobre o personagem “Cabeça Maloca”, um ser que habita os muros e paredes de Manaus; enquanto a exposição “As Amazonas – A Lenda Fotografada”, do fotógrafo Tácio Melo, ocupa a sala 4. São 12 fotografias produzidas com referências do viajante frei Gaspar de Carvajal e também do artista plástico Roland Stevenson. O projeto foi contemplado no Prêmio Feliciano Lana.

Na lateral do espaço, na rua Barroso, está o mural em homenagem ao cantor Zezinho Corrêa, com assinatura do artista visual Cria.

A Casa das Artes funciona de terça a domingo, das 15h às 20h, com entrada gratuita. Não é necessário agendamento prévio, mas as visitas têm limite de até 20 pessoas. O uso de máscara é obrigatório, assim como a apresentação da carteira de vacinação contra Covid-19.

Centros culturais

O Palácio da Justiça, na avenida Eduardo Ribeiro, 901, no Centro, e o Palácio Rio Negro, na avenida Sete de Setembro, 1.546, Centro, estão abertos para visitação de terça-feira a sábado, das 9h às 17h, com agendamento pelo Portal da Cultura. A entrada é gratuita.

No Museu do Seringal, no afluente do Tarumã-Mirim, na margem esquerda do rio Negro, o Museu do Seringal Vila Paraíso reproduz o cenário de um seringal a partir da infraestrutura do filme “A Selva” e funciona de terça-feira a sábado, das 9h às 15h, sem agendamento, mas com comprovante de vacinação.

A entrada custa R$ 10 por pessoa. O acesso é feito somente por via fluvial, por meio de embarcações particulares (sem relação com a Secretaria de Estado de Cultura), que saem de hora em hora da Marina do Davi, na Ponta Negra. Cada trecho (ida ou volta) custa R$ 18.

*Com informações da assessoria

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.