Últimas

‘Cachorrinho’ é morto brutalmente com barra de ferro por fiscais da quarentena da China

 Mundo — Um vídeo que viralizou nas redes sociais gringas mostram a crueldade do regime comunista chinês, ao qual muitos ”Defensores de Animais” da esquerda no Brasil insistem em manter silêncio.


O vídeo foi registra uma equipe de quarentena na província oriental de Jiangxi, que matou brutalmente um cachorro de estimação da raça Corgi, que pertencia a um morador em quarentena. A justificativa para o ato, seguindo o Partido Comunista da China (PCC), é que o morador “estava em isolamento contra o coronavírus”, e que a presença do animal era um potencial “risco para os demais”. 

O funcionário designado para tarefas relacionadas à quarentena teria entrado em um apartamento e matado o cachorrinho “Corgi” usando uma barra de ferro. Em uma postagem, agora excluída que se tornou viral no site de microblog Weibo, o dono do animal confirmou com a equipe local de prevenção de epidemias que o cachorro sairia ileso antes de ser transferido para um hotel de quarentena.

Autoridades de um subdistrito na cidade de Shangrao disseram que a equipe no local conduziu “tratamento não perigoso” no cachorro da raça Corgi sem “comunicação suficiente” com o dono do animal, diz comunicado publicado no último sábado (13/11).

E nota disse que a equipe em questão foi removida de seu posto e que o dono do animal “aceitou um pedido oficial de desculpas”, ao menos é o que eles afirmam.

“Como dono de um animal de estimação, isso me causou extremo desconforto psicológico, físico e uma forte sensação de insegurança e medo”, comentou um usuário em uma postagem diferente com imagens da declaração do governo.

Imagens de uma câmera de vigilância mostram a equipe de quarentena tentando pegar o corgi. De Weibo

Prática Comum

Em setembro, as autoridades locais na cidade de Harbin, no nordeste do país, também foram criticadas depois de terem sacrificado três gatos de propriedade de um paciente com COVID-19, depois que os animais de estimação também testaram positivo para o vírus. Enquanto isso, em Shangrao, a dona do cachorro e sua família deram resultado negativo para COVID-19, e não havia evidências de que o cachorro estava infectado, informou a mídia local.
Li Hui, diretor da organização de proteção animal na cidade de Yichang, província de Hubei central, disse à Sixth Tone que é “inaceitável” matar à força animais de estimação cujos donos estavam em quarentena em um local diferente. Ela disse que tais ações eram “cruéis e desumanas”.

“Se animais de estimação podem ser mortos simplesmente sob a suspeita de infecção por COVID-19, os casos humanos suspeitos também devem ser mortos?” Li disse, pedindo uma política nacional que aborde a quarentena de animais de estimação. “A equipe de prevenção de epidemias precisa mudar a maneira de pensar sobre os animais de estimação. O governo pode terceirizar o serviço de quarentena de animais de estimação para orfanatos qualificados e centros de proteção animal para o tratamento adequado. ”

Embora não haja nenhuma diretriz nacional sobre como lidar com animais de estimação de pessoas com teste positivo para COVID-19 ou com suspeita de possíveis infecções, as cidades introduziram medidas locais. Enquanto Xangai permite que os residentes levem seus animais de estimação para hotéis de quarentena, Pequim criou instalações especiais de quarentena para animais de estimação e Guangzhou enviou pessoas para alimentar os animais que ficaram para trás em casa.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.