Últimas

Governo do Amazonas investe mais de R$ 31 milhões em crédito rural no setor primário em 2021

O Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam) atuou neste ano na elaboração de projetos para crédito rural com um valor total de mais de R$ 31 milhões destinados ao desenvolvimento sustentável do meio rural no estado. 


O investimento é produto de parceria entre o Instituto e a Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam), o Banco da Amazônia e o Banco do Brasil.

O valor representa um aumento considerável se comparado ao ano passado. Em 2020, os projetos para crédito rural elaborados pelo Idam somaram um volume de recursos de cerca de R$ 22 milhões.

O crédito rural é um meio importante para o desenvolvimento rural, que permite a ampliação das atividades produtivas, com o aumento da produção e produtividade e a utilização de recursos tecnológicos nas diferentes fases da produção, escoamento e da comercialização.

Segundo os relatórios de dados do Idam, os investimentos dirigidos aos produtores familiares do Amazonas, por meio de crédito rural, chegaram a cerca de R$ 31 milhões, sendo a pesca e o cultivo da mandioca os setores mais beneficiados. Somente neste ano, o Idam entregou em torno de R$ 10 milhões em crédito rural, disponibilizados pela Afeam, para fomentar o setor pesqueiro.

Outros setores beneficiados incluem o cultivo de açaí, horticultura, fruticultura, avicultura e bovinocultura de corte.

Para o engenheiro de pesca e diretor de Assistência Técnica e Extensão Rural do Idam, Tomás Sanches, o investimento destinado à pesca reflete a importância econômica, social e cultural do setor no Amazonas.

“O Amazonas é o estado com o maior consumo per capta no Brasil e o setor pesqueiro é o que mais gera empregos no estado. São cerca de 120 mil pescadores cadastrados, sem contar os empregos criados indiretamente na cadeia produtiva do pescado. A aplicação deste crédito rural permite ao pescador garantir suas viagens, escoamento de sua produção e investir na sua atividade”, explicou Tomás

Tomás salientou ainda que os impactos positivos de se investir no setor pesqueiro se estendem além dos benefícios diretos ao pescador. Segundo ele, com o crédito rural o pescador pode investir em material mais moderno e especializado, como motores de popa e rabeta mais eficientes e menos poluentes.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.