Governo do Estado, por meio da UGPE e da Seas, entrega cestasbásicas na comunidade da Sharp

O Governo do Estado, por meio da Unidade Gestora de Projetos Especiais (UGPE) e da Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas), entregou, na quinta-feira (30/12), cestas básicas a 100 famílias que residem na comunidade da Sharp, no bairro Armando Mendes, zona leste da capital.


A comunidade é uma das áreas a serem alcançadas pelo novo Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus e Interior (Prosamin+).

De acordo com o coordenador executivo da UGPE, engenheiro civil Marcellus Campêlo, a ação atende a uma solicitação do Núcleo de Proteção e Defesa Civil (NUPDEC) da área, que identificou as famílias em situação de vulnerabilidade social na comunidade, que costuma sofrer com os efeitos das chuvas e temporais.

“Atendemos o pedido do NUPDEC da Sharp, que protocolou um ofício na UGPE, e imediatamente fomos em busca de intermediar esse auxílio para 100 famílias junto à Seas, que prontamente ajudou”, afirmou.

O núcleo é formado pelos próprios moradores da área. Membro do NUPDEC e liderança local, Celso Ventura afirmou que os comunitários procuraram o grupo relatando dificuldades, principalmente em função das últimas chuvas.

“A partir do momento que tivemos conhecimento da necessidade vivida por essas famílias, buscamos a gestão da UGPE, que gentilmente intermediou nosso pedido junto ao Governo do Estado, e hoje essas 100 cestas estão aqui para ajudar muitos comunitários”, afirmou Ventura.

A dona de casa Maria Nazaré Martins, 57, afirmou que a cesta chegou em boa hora, pois estava passando por dificuldades com os netos e os alimentos vão ajudar muito.

“Gostaríamos de não estar precisando dessa ajuda do governo, mas infelizmente algumas famílias vêm passando por muitas dificuldades”, afirmou a dona de casa.

A Comunidade da Sharp será a maior área de reassentamento do Prosamin+, a partir de 2022. No local, 2.123 imóveis estão previstos para serem reassentados. São moradias localizadas em áreas de risco sujeitas a alagações ou dentro da envoltória de intervenção de obras.

FOTOS: Tiago Corrêa/UGPE

Comentários

Obrigado por comentar aqui.

Postagem Anterior Próxima Postagem